Uma fintech para facilitar (e desmistificar) o acesso ao crédito

Fundada pelo economista Marcos Ramos, a startup EasyCrédito, que tem mais de 1 milhão de usuários, acaba de fechar parceria com o Bradesco para atender também os não-correntistas

Karina Lignelli
11/Jan/2019
  • btn-whatsapp
Uma fintech para facilitar (e desmistificar) o acesso ao crédito

Crédito não se trata apenas de dinheiro, mas de pessoas, sonhos e necessidades. Foi com base nessa premissa que o economista Marcos Ramos, 32, resolveu empreender e abrir o seu primeiro negócio: a fintech EasyCrédito, uma espécie de marketplace de serviços de crédito, como cartões, empréstimos e financiamento para quem tem pouco ou nenhum acesso a instituições financeiras.  

Com experiência em diversas áreas de grandes bancos desde que começou a trabalhar, ainda adolescente, uma em especial chamou sua atenção: a de atendimento ao público.

"Percebi que muitas pessoas precisavam de crédito, mas, ou não sabiam como conseguir, ou saíam frustradas por não entenderem porque seu pedido foi reprovado", conta.  

LEIA MAIS:  Nubank se tornou o terceiro unicórnio brasileiro

Em 2013, resolveu sair do banco em que trabalhava para trabalhar para "si mesmo", conforme gosta de dizer, em uma consultoria financeira para pequenas e médias empresas que precisavam de crédito, orientando principalmente sobre documentação adequada e até sobre postura durante a negociação com o banco. 

Porém, intrigado com o desencontro entre a necessidade de quem precisava desse crédito - e muitas vezes passava por constrangimento no momento de solicitá-lo em bancos, no varejo ou em crediários de lojas -, e as variáveis que cada banco avaliava para concedê-lo, Ramos enxergou uma oportunidade de negócio. 

Dois anos depois, nascia a EasyCrédito. "Ela surgiu de forma quase manual", diz. "Mas como o movimento das fintechs estava chegando no Brasil, acabei levando essa ideia para a internet", lembra.  

LEIA MAIS:  Fintechs são alternativas de crédito para os pequenos negócios

A plataforma, que pode ser acessada tanto pelo site como por aplicativo, funciona de um jeito bem simples: basta se cadastrar, escolher o serviço de crédito e confirmar a solicitação. A resposta é enviada por e-mail.

Se, para o usuário a consulta é mais rápida, sem atrito e sem burocracia do que uma solicitação presencial, para as instituições financeiras o interessante é que o cadastro dá acesso a mais dados, como os perfis em redes sociais. 

"Ninguém dá a senha do Facebook para o gerente do banco para que ele avalie o seu perfil, claro", diz Ramos. "Mas a busca online facilita a análise real do risco de crédito do candidato, e permite que mais operações sejam aprovadas." 

A plataforma ainda dá orientação a pessoas muito endividadas a avaliar se adquirir mais crédito é a solução. Também permite consultar a situação do CPF, além de acessar conteúdo gratuito sobre educação financeira.

Com aporte inicial de R$ 10 mil de uma aceleradora, e a ajudinha valiosa de amigos que se tornaram sócios - Bárbara Moreira, Douglas Jason, Egio Arruda e Rodrigo Siqueira -, para desenvolver a tecnologia e buscar parceiros, a startup de finanças, nascida em um coworking de Goiânia (GO) em 2015, começou a crescer. 

E a EasyCrédito passou a fazer cada vez mais parte do ecossistema das startups, participando de programas como o InovAtiva Brasil, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e o Inovabra, do Bradesco - ocasião em que a EasyCrédito veio para São Paulo. Já na cidade, a startup também foi convidada pelo Google para participar do demoday no Google Campus, onde foi residente ao longo de 2017.  

Até o momento, a EasyCrédito, que tem um time de 22 pessoas, recebeu cerca de R$ 1 milhão em aportes de aceleradoras, fundos e investidores-anjo. Em três anos de atividade, processou a análise de crédito de mais de 1 milhão de usuários e hoje conta com 56 parceiros, como bancos, operadoras de cartão e outras fintechs. 

PARA TODOS

A participação da EasyCrédito no Inovabra, do Bradesco, também rendeu frutos para uma nova parceria: uma plataforma de Empréstimo Pessoal Online para não-correntistas. 

De acordo com o Bradesco, a parceria com a EasyCrédito "é uma prova de conceito que está sendo desenvolvida com uma amostra limitada de clientes", já que empresa é uma das habitantes do espaço de co-inovação do Bradesco, o Inovabra Habitat. 

A iniciativa, segundo Ramos, é pioneira, já que somente clientes que tinham conta-corrente no banco podiam contratar empréstimos por lá. "Com a parceria, esperamos atingir mais de 500 mil novos usuários", acredita. 

Para 2019, está em andamento a chegada de um aporte mais generoso, R$ 5 milhões, oriundo de um fundo de investimentos. A ideia, de acordo com Ramos, é investir em tecnologia e na aquisição de novas parcerias.

"Nosso foco é o usuário final. Portanto, queremos melhorar cada vez mais nosso produto para oferecer uma melhor experiência de crédito", conclui. 

FOTO: Divulgação/Google Campus  

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas