Governo de SP prorroga quarentena até 22 de abril

Restrições a comércio e serviços não-essenciais serão mantidas e seguem sem flexibilizações em todo o Estado. Governador João Doria fez apelo a empresários para não demitirem nesse período

Redação DC
06/Abr/2020
  • btn-whatsapp

O governo de São Paulo anunciou a ampliação da quarentena em todo o estado até o próximo dia 22 de abril, determinação que entra em vigor a partir desta quarta-feira (8/4).

Apesar de os paulistanos terem retomado a rotina aos poucos, e algumas prefeituras paulistas determinarem a reabertura do comércio, a medida segue sem flexibilizações, e foi tomada para conter o avanço do coronavírus no estado. A determinação será publicada no Diário Oficial desta terça-feira (7/4).

"Isso é constitucional, é uma determinação que deve ser seguida por todos os municípios do estado", afirmou o governador João Doria. "Sem essas medidas no sentido de fazer um isolamento das pessoas, pelos cálculos, seriam 10 vezes mais casos do que os 4600", disse o secretário estadual de Saúde, José Henrique German.

O decreto do Estado de São Paulo determinou o fechamento do comércio e de serviços não essenciais, o que inclui bares, restaurantes e cafés, que só podem funcionar com serviços de delivery. Já os considerados essenciais, como farmácias e supermercados, podem abrir as portas. 

Serviços considerados essenciais: 

Hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas;
Transporte público;
Transportadoras e armazéns;
Empresas de telemarketing;
Petshops;
Deliverys;
Supermercados, mercados e padarias;
Limpeza pública;
Postos de combustível.

Continuam fechados durante a quarentena: 

Bares;
Restaurantes;
Cafés;
Casas noturnas;
Shopping centers e galerias;
Academias e centros de ginástica;
Espaços para festas, casamentos, shows e eventos;
Escolas públicas ou privadas.

*Bares, cafés e restaurantes podem manter o funcionamento em sistema de delivery e/ou drive thru.

APELO AOS EMPRESÁRIOS

São Paulo é o Estado com o maior número de mortes e de casos do novo coronavírus no Brasil. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, o Estado tem 275 óbitos, 56% do total do País.

O Estado tem 4.620 casos confirmados, 41% dos casos brasileiros. O balanço mais recente do Ministério da Saúde, do final da tarde deste domingo, indicava que o País tem 486 mortes e 11.130 casos.

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, afirmou que estudos coordenados por epidemiologistas apontam que houve 56% de redução na mobilidade social do Estado. O ideal, segundo ele, é um porcentual acima de 60%. Antes do anúncio, Doria voltou a pedir que empresários não demitam funcionários neste período.

"Um apelo, façam todo o possível para não demitir. Compreendo as restrições deste momento. Mais do que nunca, seus funcionários e colaboradores esperam de vocês que exerçam sua responsabilidade social e seu lado humanitário. O sofrimento é de todos, mas principalmente dos que dependem do salário para sobreviver", disse Doria.  

FOTO: Reprodução do site/Governo do Estado de SP      *Com informações do Estadão Conteúdo

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas