Acerte o alvo: recomende produtos que são a cara do consumidor

Ferramentas de personalização de páginas no e-commerce podem aumentar o engajamento do usuário e elevar a taxa de conversão de vendas. Conheça três formatos

Italo Rufino
25/Out/2017
  • btn-whatsapp
Acerte o alvo: recomende produtos que são a cara do consumidor

Não é segredo nenhum que uma boa vitrine chama a atenção dos consumidores. Se no varejo físico a boa exposição de produtos fisga quem passa pelos corredores, no e-commerce o foco é atuar na organização da página principal e nas de categorias de produtos.

E quais produtos devem compor uma vitrine atrativa: os mais vendidos, os que mais representam a identidade da marca ou os lançamentos?

A resposta certa pode ser uma combinação das três opções ou nenhuma delas. A chave é sempre exibir os itens mais relevantes para os clientes. Mas cada usuário tem interesses distintos, certo? Sim, então, a solução são páginas personalizadas.

Hoje, já existem no mercado ferramentas tecnológicas que customizam páginas de recomendações de produtos de acordo com o comportamento de cada usuário.

“Lojas virtuais que oferecem uma sugestão de produtos mais precisa conseguem resultados não só em vendas, mas também em aumento da conversão, do tíquete médio e melhor aproveitamento de mídia”, afirma Davi Bernardes, fundador da Roi Hero, empresa que desenvolve ferramentas para recomendações inteligentes que atende pequenos e médios e-commerces.

Fundada há um ano, a Roi Hero atende cerca de 30 lojas virtuais, entre elas a Pandorá Joias e a Vestcasa, que vende artigos de cama, mesa e banho.

LEIA MAIS: O que a loja física da Beleza na Web tem a ensinar ao varejo

BERNARDES, DA ROI HERO: VITRINES PERSONALIZADAS
PODEM DIMINUIR A TAXA DE REJEIÇÃO DO E-COMMERCE

De acordo com Davi, grandes empresas utilizam softwares de inteligência artificial para fazer recomendações de produtos. O problema é que, para ser eficiente, essas ferramentas dependem de uma grande quantidade de dados. Para uma loja de grande porte, não há problema, uma vez que o site recebe milhares de visitas num único dia.

Já as pequenas, com fluxo melhor, não obtêm o mesmo desempenho. A alternativa é usar algoritmos de análise de Big Data para identificar cada usuário e desvendar os interesses de cada um.

Recomendações certeiras de produtos podem despertar no usuário a sensação de que a loja tem a sua cara.

A melhor experiência também tende a diminuir a taxa de rejeição, que é quando o usuário visualiza apenas uma página e sai do site.

O melhor engajamento pode aumentar a conversão de vendas. Na Vestcasa, por exemplo, a taxa de conversão aumentou 13% após a adesão da tecnologia.

Conheça os três principais tipos de recomendações para melhorar as vendas do e-commerce.

SAIBA TAMBÉM: Vender alimentos frescos pode ser o próximo filão do e-commerce

ITENS COMPLEMENTARES

Esse formato de recomendação é um dos mais utilizados no varejo físico – e a lógica é a mesma no mundo virtual.

Funciona assim: quando um usuário adiciona um produto no carrinho, uma caixa de sugestão de produtos surge, apresentando itens complementares.

Por exemplo, o usuário que seleciona um smartphone poderá visualizar uma página que exibe uma gama de acessórios, como capas protetoras, fones de ouvidos, cartões de memória e carregadores portáteis.

Neste tipo de recomendação, o foco é aumentar o tíquete médio por meio da venda de mais de um produto para o mesmo consumidor. A tática é conhecida como cross-selling.

LOJA VIRTUAL DA VESTCASA AUMENTOU CONVERSÃO DE VENDAS EM 13% COM TECNOLOGIA DE RECOMENDAÇÃO DE PRODUTOS

PRODUTOS SIMILARES

A ferramenta mapeia a navegação do usuário no site. As informações, então, são cruzadas com a base de dados de comportamento de todos os consumidores que já visitaram a loja.

Dessa forma, o sistema passa a recomendar produtos que outros usuários, com navegação similar, compraram de fato. As recomendações, então, são apresentadas em pequenas vitrines durante toda a navegação.

Por exemplo, um usuário que navegou em páginas de televisores LG e Samsung – e não comprou nenhum produto – pode estar em dúvida.

Neste caso, conforme a escolha dos antecessores, a tecnologia gera anúncios recomendando o produto com mais chances de ser o preferido.

Conforme mais páginas são visitadas, mais refinadas se tornam as recomendações. O foco é seguir o usuário até que o produto recomendado seja o que possuir maior probabilidade de compra.

VEJA MAIS: Deixe o cliente falar na sua loja virtual

HISTÓRICO DE PRODUTOS

Este tipo de recomendação consiste em identificar, em tempo real, os produtos e categorias que o usuário navega e gerar um histórico dos itens que foram acessados.

A lista de produtos passa a ser exibida no rodapé das páginas seguintes que o usuário visitar.

A ideia é facilitar a jornada do usuário e deixar os produtos sempre visíveis. Dessa forma, o potencial comprador consegue encontrar facilmente os itens de que viu e gostou, mesmo tendo pesquisado outros produtos posteriormente.

Quando ele sentir necessidade, pode comparar os itens e adicionar o melhor ao carrinho.

IMAGENS: Thinkstock e Divulgação

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas