Economia

Indicador da ACSP mostra um consumidor cauteloso


O Índice Nacional de Confiança passou de 72 pontos, registrados em outubro, para 73 em novembro, variando dentro da margem de erro


  Por Redação DC 19 de Novembro de 2021 às 13:20

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A confiança do consumidor brasileiro registrou leve alta em novembro, passando dos 72 pontos, do mês anterior, para 73 pontos, de acordo com o Índice Nacional de Confiança (INC), elaborado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Apesar da melhora, o indicador ainda se encontra na zona do pessimismo. O INC varia de zero a 200 pontos, sendo que apenas resultados que superam os 100 pontos denotam otimismo por parte do consumidor.

Segundo o economista da ACSP Ulisses Ruiz de Gamboa, o indicador está em curva ascendente desde maio deste ano, quando registrava 66 pontos. Nos últimos meses, porém, ele tem patinado. Em setembro o INC marcava 74 pontos, ou seja, desde então o indicador se mantém estagnado considerando a margem de erro de dois pontos para cima e para baixo.

A vacinação, as medidas de flexibilização das restrições às atividades econômicas e o aumento da ocupação formal e informal são fatores positivos para o humor dos consumidores. “Mas o brasileiro ainda se mantém cauteloso”, comenta Gamboa.

POR REGIÕES

O INC ouviu 1.657 consumidores de todas as regiões do Brasil. A mais otimista é a Centro-oeste, com 84 pontos. Norte, Sudeste e Sul registraram respectivamente 83, 77 e 66 pontos. O Nordeste é o mais pessimista, com 63 pontos.

POR CLASSE SOCIAL

Entre as classes sociais, AB se mostram um pouco mais confiantes que a classe C, 81 e 79 pontos, respectivamente, enquanto as classes DE atingiram 51 pontos.

“Há boas perspectivas sobre o futuro, o que sinaliza uma pré-condição para a retomada da jornada do consumo”, afirma Gamboa.

ESTADO DE SÃO PAULO

Recorte do indicador nacional, o Índice de Confiança do Consumidor Paulista (ICCP), também mostrou estabilidade ao registrar 74 pontos em novembro, mesmo patamar de outubro.

"Continuamos em curva ascendente. O Estado de São Paulo acelerou o ritmo de vacinação e a economia aos poucos voltará ao patamar registrado anteriormente à pandemia", diz o economista da ACSP.

O INC e o ICCP medem a percepção da população sobre sua condição financeira atual e as expectativas em relação à situação futura, afetando o comportamento destas pessoas na hora da compra.

 

IMAGEM: Fábio D'Castr/DC






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade