Brasil

Após restrições, ACSP pede suspensão do aumento do ICMS


Entidade destaca que as determinações ao funcionamento do varejo vão aumentar os prejuízos do setor, que ainda deve suportar muitas dificuldades até que a economia retorne à normalidade


  Por Redação DC 22 de Dezembro de 2020 às 17:50

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Com as novas medidas de flexibilização econômicas anunciadas pelo Governo do Estado de São Paulo, nesta terça-feira (22/12), a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) divulgou uma nota considerando a ação necessária, porém relevante ao setor que vem acumulando perdas.

O anúncio da fase vermelha do Plano São Paulo entre os dias 25 e 27 e 1º e 3 de janeiro determina o fechamento do comércio e todas as atividades consideradas não essenciais.

Para Alfredo Cotait Neto, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), as novas restrições ao funcionamento do varejo vão aumentar as dificuldades do setor, mas fazem-se necessárias considerando a situação atual de agravamento da pandemia.

Ao citar que os negócios, especialmente, as pequenas empresas ainda deverão suportar muitas dificuldades até que a economia retorne à normalidade, o presidente da ACSP pede que o governador João Doria Jr. considere a situação das empresas e de grande parte da população, suspendendo o aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS), previsto para entrar em vigor em janeiro, que terão um impacto significativo sobre os preços.

Cotait também faz um apelo para que a população colabore, evitando aglomerações nas comemorações das festas de fim de ano, em benefício das famílias e de toda população.

"Espero também que novas restrições não sejam necessárias e que o comércio possa voltar a funcionar normalmente no menor prazo possível, pois os custos das medidas restritivas foram bastante significativos para as empresas, especialmente as menores", diz.

 






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade