Nível de emprego no comércio avança na região metropolitana de São Paulo

Setor se destacou no saldo de novos postos de trabalho em julho, de acordo com o Dieese. Foram 30 mil novas vagas abertas no período - uma alta de 1,9%

Agência Brasil
30/Ago/2017
  • btn-whatsapp
Nível de emprego no comércio avança na região metropolitana de São Paulo

A taxa de desemprego caiu 0,3 ponto percentual na região metropolitana de São Paulo, ao passar de 18,6% em junho para 18,3% em julho, de acordo com o levantamento feito pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

No período, houve uma queda de 26 mil pessoas no total de desempregados, mas o número de pessoas à espera de uma vaga ainda é muito elevado (2,051 milhões de pessoas) ou 98 mil a mais do que no mesmo período do ano passado.

Na avaliação do economista do Dieese, Cesar Andaku, o mercado está reagindo melhor do que no início deste ano.

“A partir de junho começamos a observar uma estabilização, mas devido à volatilidade na economia ainda é prematuro cravar que vamos ter uma sequência de queda”, diz.

Em junho, a taxa tinha passado de 18,8% para 18,6%.

Andaku lembrou que na comparação com 2016 houve uma piora. Em julho do ano passado, havia 17,4% da População Economicamente Ativa (PEA) à procura de uma vaga.

De acordo com ele, a pequena melhora em julho reflete principalmente o crescimento de autônomos (3%), o que acredita ser uma alternativa para “driblar a crise econômica”.

COMÉRCIO E CONSTRUÇÃO 

O nível de emprego aumentou 0,7% com um saldo de 68 mil postos de trabalho, número acima do total de pessoas que passaram a disputar uma chance no mercado de trabalho.

A maioria dos setores ampliou as contratações com destaque para o comércio, onde surgiram 30 mil empregos, com alta de 1,9% e a construção civil, com 22 mil novas vagas (3,8%).

Na indústria, o saldo foi positivo em 20 mil postos de trabalho (1,5%) e em serviços foram abertas 14 mil vagas (0,3%). A pesquisa não especifica os segmentos que efetuaram mais cortes do que admissões.

Em julho havia 9,159 milhões de pessoas ocupadas na região metropolitana de São Paulo, sendo que o número de autônomos cresceu 3%, enquanto o de assalariados ficou ligeiramente inferior a julho (-0,1%).

O levantamento mostra ainda que melhorou a situação do emprego com 0,4% mais contratados com carteira assinada, ao mesmo tempo em que diminuiu em 1,7%, o total de trabalhadores sem carteira.

RENDIMENTO 

O rendimento médio cresceu mais entre os ocupados (1,8%) atingindo R$ 2.033 . Já os ganhos dos assalariados teve correção média de 0,7% com o valor de R$ 2.099.

FOTO: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas