Brasil

Pessimismo ainda predomina entre os brasileiros


Índice Nacional de Confiança (INC) registra 64 pontos em agosto e está no campo negativo (abaixo de 100) desde julho de 2015; do início de 2017 até agora, o indicador vem caindo


  Por Redação DC 29 de Agosto de 2017 às 09:57

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Índice Nacional de Confiança (INC) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou 64 pontos em agosto – um a mais frente a julho, quando chegou à pontuação mais baixa da série histórica (63 pontos), iniciada em 2005.

O índice varia de zero a 200 pontos, sendo o intervalo de zero a 100 o campo do pessimismo e, o de 100 a 200, o do otimismo. Desde julho de 2015, quando o INC ficou abaixo de 100 pontos pela primeira vez, o indicador não conseguiu retornar ao campo positivo.

Do início de 2017 até agora, a confiança também vem caindo, com 77 pontos em janeiro, 74 em fevereiro, 71 em março, 66 em abril, 68 em maio, 68 em junho e 63 em julho.

“Esse forte pessimismo na sociedade ao longo do ano aponta que a incerteza política abalou a confiança de todas as classes sociais e regiões brasileiras de maneira homogênea, apesar da melhora de alguns indicadores econômicos. A política tem gerado desânimo no brasileiro”, afirma Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). “Esperamos que, com a continuidade da queda da taxa básica de juros, o ânimo do consumidor melhore."

A pesquisa foi feita pelo Instituto Ipsos entre os dias 1º e 14 de agosto em todas as regiões brasileiras. A margem de erro é de três pontos.

REGIÕES

O INC revela um agravamento do pessimismo do Nordeste na passagem de julho para agosto (de 72 para 63 pontos), em função do desemprego mais agudo na área. No grupo de regiões Norte/Centro-Oeste houve alta de cinco pontos (de 63 para 68).

No Sudeste, a confiança ficou estável em 63. Por fim, o Sul surpreendeu com grande elevação, de 49 para 62 pontos, possivelmente pela normalização climática na região, estabilizando a atividade agropecuária.

Classes sociais

A confiança da classe DE caiu cinco pontos na passagem de julho (68) para agosto (63). Já as classes AB e C ficaram estáveis em 63 e 65 pontos, respectivamente.

Inversão  

Em agosto, 30% dos entrevistados disseram acreditar que sua situação financeira vai piorar nos próximos seis meses e 28% achavam que irá melhorar.

Embora a diferença entre os dois grupos esteja dentro da margem de erro, essa foi a primeira vez que os pessimistas foram maioria nesse quesito desde julho de 2016.  

O QUE É O INC

Encomendado pela ACSP ao Instituto Ipsos, o INC é elaborado a partir de entrevistas pessoais e domiciliares em todas as regiões brasileiras, com base em amostra probabilística e representativa da população brasileira de áreas urbanas de acordo com dados oficiais do IBGE (Censo 2010 e PNAD 2014).

Trata-se de uma medida da extensão de confiança e segurança do brasileiro quanto à sua situação financeira ao longo do tempo. Além de indicar a percepção do estado da economia para a população em geral, o índice visa a prever o comportamento do consumidor no mercado.

Veja o levantamento na íntegra: Índice Nacional de Confiança/INC