Inovar em mercados tradicionais? É possível

Tema foi debatido durante a Feira do Empreendedor do Sebrae. Veja dicas de como desenvolver um negócio disruptivo

Italo Rufino
12/Abr/2018
  • btn-whatsapp
Inovar em mercados tradicionais? É possível

Quem tem um negócio sabe o quanto pode ser moroso preencher uma vaga no quadro de funcionários da empresa. Para quem procura emprego, o processo também pode ser angustiante.

Há décadas, o método de recrutamento e seleção em boa parte das empresas continua igual: anúncio de vaga, análise de currículos, testes, dinâmicas, avaliações e entrevistas.

Até que, em 2015, surgiu a Gupy, empresa que desenvolveu uma plataforma online, dotada de inteligência artificial, para digitalizar o processo de recrutamento e seleção.

Entre as funcionalidades da plataforma estão a criação de vagas personalizadas, triagem automática de candidatos e vídeo entrevistas. A empresa já recebeu mais de R$ 2 milhões em investimentos e tem como clientes empresas como Kraft Heinz, Movile, Cielo e Vivo.

“Quando o assunto é inovar, onde há problemas, há oportunidades”, afirma Marina Dias, fundadora da Gupy. Durante o último dia da Feira Empreendedor do Sebrae, terça-feira (10/04), ela proferiu uma palestra sobre como empreender e inovar em setores tradicionais da economia.

Veja as orientações práticas sobre como desenvolver um negócio disruptivo.

MARINA DIAS, DA GUPY: INOVAÇÃO PARA O SETOR DE RECURSOS HUMANOS DE EMPRESAS 

ENTENDA O PROBLEMA DO CLIENTE

No meio das startups, é comum existir negócios que desenvolvem produtos de alta tecnologia, mas que não conseguem ter sucesso em vendas e acabam falindo antes de decolar.

Neste caso, a questão é que não importa ter um ótimo produto se não há gente interessada em comprá-lo. A ideia é descobrir um problema do mercado e desenvolver um produto que resolva essa dor.

E como descobrir um problema relevante? Conversando com as pessoas. Partindo de “achismos”, o empreendedor deve chegar a hipóteses.

Entrevistas exploratórias ajudam a lapidar a ideia inicial. Posteriormente, conversas profundas geram novos insights. É necessário identificar padrões nas respostas e encontrar uma necessidade do cliente que ainda não foi explorada por outras empresas.

DIMENSIONE O TAMANHO DO MERCADO

Há diversas formas de dimensionar um mercado. A análise funciona como um funil. Primeiro, o empreendedor deve identificar o mercado total ao cruzar receitas ou vendas unitárias das empresas do segmento.

Esses dados geralmente são divulgados por associações de classe ou consultorias especializadas, como a Fenabrave (veículos) e IDC (smartphones, tablets e PCs).

Depois, o empreendedor deve selecionar uma fatia do mercado total, considerando a região, as características do produto e taxa de crescimento para os próximos anos.

O próximo passo é segmentar mais uma vez, agora, considerando localidade, concorrência, distribuição e canais de venda, entre outros.

Uma empresa que é referência em inovação em setor tradicional é a fintech Nubank. Em 2016, o valor total das transações com cartões de crédito foi de R$ 674 bilhões. O montante representa o mercado total da fintech. No entanto, devido as características digitais do serviço, a empresa segmentou sua atuação no público jovem. Atualmente, cerca de 70% dos clientes têm menos de 36 anos.

LEIA MAIS:  Seis ferramentas gratuitas que ajudam o empreendedor

IDENTIFIQUE O PÚBLICO-ALVO

Dentro da segmentação do mercado, quem pode, quer e está disposto a pagar pelo seu produto? Quem gostaria de um clube de assinatura de ração vegana para pets em São Paulo? A resposta pode variar de acordo com renda, localidade, ocasião de compra, conveniência, entre outros fatores.

Em negócios inovadores, é necessário considerar os consumidores com maior propensão a comprar produtos e serviços que sejam novidades e de empresas ainda sem credibilidade. Focar num público-alvo específico logo de cara evita desperdício de verba promocional.

PROCURE UM SÓCIO

Você é um excelente gestor de projetos e quer ter um negócio. Então, convida seu amigo do trabalho, pessoa de confiança, para ser seu sócio. No entanto, ele também é um excelente gestor de projetos. Está errado.

“É necessário que os sócios tenham perfil complementar”, afirma Marina. “Quando fundei a empresa, busquei pessoas que poderiam atuar em frentes que eu não tinha conhecimento, como tecnologia e comercial”.

Outro ponto crítico é criar um contrato societário com regras claras, como delimitação de participação acionária e procedimentos para caso um dos sócios opte por sair do negócio.

VEJA MAIS:  Por dentro do OasisLab, o primeiro hub de inovação para o varejo

TESTE, APRENDA E MELHORE

A regra é que negócios inovadores devem começar rápido. Contar para os outros o que você pretende criar é uma forma de coletar críticas, que são usadas para aprimorar o modelo de negócio.

Também é necessário desenvolver um Minimum Viable Product (MVP), uma espécie de protótipo para saber se as pessoas terão interesse em pagar pela solução.

Um caso mundialmente conhecido é o da americana Zappos, loja virtual de sapatos, roupas e acessórios. Em 1999, Tony Hsieh, sócio da empresa, visitou lojas físicas de sapatos em Las Vegas e tirou fotos dos produtos.

Depois, criou um blog (não um site) e publicou as ofertas. Quando um cliente fazia um pedido, Hsieh comprava o mesmo modelo na loja física, enviava ao consumidor por correio e ouvia a sua opinião sobre o produto e a entrega.

Sem investir em tecnologia, estoque e logística, ele validou a ideia da loja virtual. Dez anos depois, a empresa foi incorporada pela Amazon, num acordo de cerca de US$ 1,2 bilhão.

IMAGENS: Thinkstock e Reinaldo Canato/Sebrae

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas