Inovação

Por dentro do OasisLab, o primeiro hub de inovação para o varejo


Novo espaço reúne startups, eventos e laboratório para desenvolvimento, testes e proliferação de novas tecnologias


  Por Thais Ferreira 06 de Dezembro de 2017 às 08:00

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


No dia 9 de agosto é comemorado o dia do coworking. Neste ano, a data marcou também a inauguração do OasisLab, um espaço de inovação dedicado ao varejo.

A iniciativa partiu da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), entidade formada por empresários e executivos do setor.

 “Organizamos muitas viagens para o Vale do Silício e para NRF Big Show [feira de varejo dos Estados Unidos]”, afirma Helio Biagi, fundador da OasisLab e presidente do conselho de administração da SBVC.

“Os empresários voltavam de lá maravilhados com as tecnologias. Mas quando chegavam ao Brasil, a vontade de inovar arrefecia porque eles não sabiam onde encontrar as pessoas e empresas necessárias”.

O OasisLab pretende atender essa demanda. Na realidade, espaços que fomentam startups e estimulam a conexão com as grandes empresas proliferaram nos últimos anos. Os mais famosos são o Google Campus e o Cubo.

A diferença é que o OasisLab pretende ser um centro de referência exclusivamente para o varejo.

O espaço, localizado em Cerqueira César, na zona oeste de São Paulo, é similar aos ambientes de startups: com decoração moderninha e ambiente descontraído. Jovens sobem e descem escadas com roupas informais.

No primeiro andar está localizado o coworking, que hoje abriga 30 empresas. No subsolo, há o recém-inaugurado espaço de eventos, palestras e workshop.

No térreo, algumas salas de reunião dividem espaço com o laboratório de inovação que abrirá as portas em janeiro.

Nesse espaço serão montados cenários –como supermercados, farmácia e perfumarias –para testes das soluções tecnologias. A ideia é validar modelos de negócios e a expor novas ferramentas.

“Abrir um laboratório de inovação dentro de uma grande empresa, como o Magazine Luiza, exige muito investimento e conhecimento”, diz Biagi. “Dentro de um único ambiente, podemos servir de laboratório para diversas empresas”.

O espaço pretende atrair os grandes do setor, mas também os pequenos.  Um dos planos é firmar parcerias com associações e entidades para entender as necessidades das empresas de menor porte.

“As empresas têm necessidades diferentes. Uma loja do Brás, por exemplo, não tem a mesma necessidade de uma grande rede de supermercados.”, afirma Biagi. “Queremos fazer diagnósticos e oferecer soluções para todas as empresas do setor”.

ENTREGAS RÁPIDAS

A Supermercado Now, startup que funciona com uma Uber para entregas de compras, foi a primeira empresa a fazer parte do coworking.

A empresa foi fundada em dezembro de 2015 para unir clientes, supermercados e pessoas que querem ganhar um dinheiro extra, assim como acontece com os motoristas dos aplicativos.

Seu objetivo é realizar entregas rápidas sem gerar custos extras para os varejistas. 

Por meio de um aplicativo, os clientes montam uma lista de compras. Uma pessoa cadastrada na plataforma irá realizar as compras e entregas na hora e no local combinado.

Atualmente a empresa, já atende grandes redes de supermercados como Hirota e D’avó. 

Diego Melo, co-fundador da empresa, acredita que a experiência no OasisLab é produtiva para empresa. “Não é apenas um espaço físico e uma internet, o local promove a integração das startups e contato com varejistas”.

CONTROLE DE EQUIPES

Melo compartilha espaço com diversas empresas, entre ela a Go.on, que ajuda a gerenciar equipes externas, como equipes de manutenção e promotores de venda.

Por meio da plataforma, é possível enviar ordens de serviço para os funcionários utilizando geolocalização e fazer controle de produtividade e de processos. Cada cliente pode personalizar o formulário para atender às demandas específicas da empresa.

A Go.on não é uma plataforma exclusiva para o varejo, mas um parte significativa dos clientes pertencem ao segmento. Entre elas está uma concessionária de carros da Mercedes-Benz, que utiliza a ferramenta para registrar os atendimentos que são feitos fora da loja.

“Dentro do coworking, conheci uma empresa que faz análise de gôndolas por meio de fotos”, afirma Ronaldo Canova. “Podemos combinar as tecnologias: assim que for detectada a falta de um produto, nosso dispositivo pode avisar o funcionário”. 

OMNICHANNEL

Entre as grandes promessas do OasisLab está a Neomode, especilizada em criação de plataformas de venda online. 

A startup deu seus primeiros passos após vencer o Hackathon da empresa L’Oréal há um ano e meio.  Fabíola Paes, cofundadora da empresa  e seus sócios desenvolveram um aplicativo de vendas para a marca Maybeline, integrando o mobile com as lojas físicas.

Por meio dessa ferramenta, o cliente pode escolher o produto, pagar no próprio App e localizar a loja mais próxima para retirá-lo.

O pedido já fica separado para que o cliente não enfrente filas. O aplicativo está em fase testes e deve começar a operar em janeiro do próximo ano.

Depois desse projeto bem-sucedido, a Neomode conquistou grandes clientes como a Havan, o Boticário e a Positivo. A empresa deve fechar faturamento deste ano em R$ 400 mil – a expectativa é triplicar o valor no próximo ano.

FIM DO DESPERDÍCIO

A missão da Tem Pra Já é acabar com o desperdício nas redes de varejo de alimentos.

“O Brasil é um dos campeões de desperdício em diversos segmentos”, afirma Salvador Ramalho. Por dia 40 mil toneladas de alimentos são jogadas no lixo no Brasil, gerando um custo de US$23 milhões.

Para evitar as perdas, as empresas cadastram os produtos que estão para vencer na plataforma da startup. Os alimentos ficam disponíveis para compra de clientes cadastrados ou para a doação para ONGs e entidades.

A identidade da rede varejista fica protegida para não afetar a operação do varejo.

A startup também está desenvolvendo uma ferramenta de controle de oferta e demanda para melhorar a gestão dentro do varejo. Dessa forma, a empresa que garantir que menos produtos sejam desperdiçados.

A empresa começou sua operação há cerca de um ano e entre seus clientes está a rede de supermercados Sonda.

FOTOS E VÍDEO: William Chaussê/Diário do Comércio