Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Montante será alcançado nesta quarta-feira às 14h04. No ano passado, o número foi atingido em 13 de outubro. O valor é uma estimativa dos impostos, taxas e contribuições pagos pelos brasileiros desde o início do ano

Redação DC
14/Set/2022
  • btn-whatsapp
Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

O Impostômetro, painel da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que registra o montante de tributos pagos pelos brasileiros em todo país, atinge nesta quarta-feira (14/9), às 14h04, a marca de R$ 2 trilhões.

Este é o montante pago pelos contribuintes brasileiros aos governos federal, estaduais e municipais desde o início do ano. Entram na contabilidade impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e a correção monetária.

No ano passado a marca foi alcançada em 13 de outubro. De acordo com a avaliação do economista da ACSP, Marcel Solimeo, a antecipação do montante está relacionada ao aumento dos preços e à melhora do nível de atividade econômica nos últimos doze meses.

Para Solimeo, o corte de impostos sobre os combustíveis e de energia elétrica - afetando a arrecadação do ICMS -, provocará desaceleração do ritmo da arrecadação até o fim do ano.

“Se observada a receita tributária total nos últimos dozes meses verifica-se que ela acompanha o comportamento da inflação. Nesse período, a arrecadação dos estados e municípios cresceu mais do que a da União porque seus impostos, ICMS e ISS, estão ligados ao fator consumo”, comenta Solimeo.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro chegou a 1,16%. O índice, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é o maior para o mês de setembro desde 1994. Em 12 meses, o índice está em 10,25%.

O Impostômetro é um painel luminoso fixado na sede da Associação Comercial, na Rua Boa Vista, no centro de São Paulo. Ele também pode ser acessado na internet.

 

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas