Hubs de saúde, a reinvenção do setor farmacêutico

Com a valorização da saúde estimulada pela pandemia, farmácias transformam seus espaços físicos para oferecer serviços voltados aos cuidados diários, alívio de doenças crônicas e bem-estar

Mariana Missiaggia
11/Mai/2021
  • btn-whatsapp
Hubs de saúde, a reinvenção do setor farmacêutico

A pandemia de coronavírus trouxe mudanças e adaptações irreversíveis ao setor de saúde. A utilização de telemedicina, a importância de vacinação em massa, a valorização da ciência e o reconhecimento de profissionais da saúde são alguns exemplos. 

Em busca de apoio, orientação e informação, as farmácias se tornaram importantes pontos de auxílio à saúde. A liberação da Anvisa para realização de testes rápidos também despertou uma vocação a esses estabelecimentos. Ansiosos por uma resposta, muitos pacientes chegam às farmácias à procura por informações sobre os sintomas, buscando orientação sobre o que estão sentindo, e que decisão tomar.

Ou seja, mais do que comercializar medicamentos, cosméticos e outros itens típicos do canal, as farmácias descobriram potencial para se aproximar dos clientes e transformar suas lojas em espaços voltados a serviços de saúde.

REINVENÇÃO COMO REMÉDIO

Avaliada em quase U$ 100 bilhões, a CVS, rede de farmácias americana está transformando seu negócio em hubs de saúde - um novo formato implementado em pouco mais de 600 das suas 10 mil unidades, o CVS HeatlhHub.

Com amplo leque de atendimento, o novo projeto da companhia tem como meta ofertar produtos e serviços voltados para o cuidado da saúde diária e para o alívio de doenças crônicas.

Com 10 mil farmácias ativas, a estratégia da CVS é também uma forma de resistência à entrada de grandes players no segmento de health care. A Amazon, por exemplo, desembolsou U$ 753 milhões para comprar, em maio de 2019, a startup Pill Pack — especializada na comercialização de medicamentos prescritos, embalados de acordo com a receita médica.

Já a Apple investiu na compra de empresas, como a Tueo Health, focada no monitoramento de doenças de alta incidência, como a asma. Tais apostas para o mercado de bem-estar e saúde demandam que a utilização dos espaços físicos seja repensada.

Por isso, as lojas conceito da rede, chamadas de CVS HealthHubs, têm 20% de sua área total voltados para atividades de saúde, em vez de prateleiras com snacks, suplementos e afins. Parte do sucesso dessas unidades tem a ver com o atendimento personalizado.

Todas as HealthHubs contam com um farmacêutico que ocupa o posto de uma espécie de concierge, cujo propósito é guiar os clientes por diferentes possibilidades – dentro e fora da farmácia.

Esse especialista é preparado, por exemplo, para auxiliar com dúvidas às obrigações e deveres de planos de saúde e sugerir ações que possam ser úteis para o consumidor em questão.

Além desse profissional, os hubs também contam com a MinuteClinic, presente em 1,1 mil unidades da rede em todo o país. Espécie de pronto-socorro, a MinuteClinic ganha mais funções dentro deste projeto, incluindo exames de sangue.

Embora não sejam lideradas por médicos, essas clínicas disponibilizam o cuidado de profissionais aptos a prescrever medicações e tratar enfermidades básicas e doenças, como diabetes e apneia do sono.

O MODELO BRASILEIRO NA PRÁTICA

A RD - Raia Drogasil S.A. anunciou a aspiração de se tornar, até 2030, a empresa que mais promove hábitos saudáveis para os brasileiros.

Para tanto, concebeu uma estratégia baseada em três pilares: a Nova Farmácia, que combina um hub de saúde com experiência digital e multicanal, um marketplace de produtos de saúde, recém lançado, e uma plataforma de saúde, focada na promoção de hábitos saudáveis e prevenção de doenças, que será lançada ainda em 2021.

A nova estratégia se mostrou relevante já em 2020, ano em que a RD buscou se tornar uma espécie de porto-seguro para a saúde. Ter dado vida aos Hubs de Saúde, que oferecem serviços como vacinação contra a gripe e testagem para a covid-19, nas lojas é um exemplo prático dessa nova abordagem. Em pouco menos de um ano, foram efetuados 1,4 milhão de testes nas suas unidades.

No que diz respeito ao e-commerce, as vendas digitais da Raia Drogasil mais que quadruplicaram em 2020. A companhia encerrou o ano com receita de R$ 1,2 bilhão no comércio on-line, o que corresponde a 5,9% da receita bruta total do varejo.

A empresa chegou à marca de 7,9 milhões de downloads acumulados dos seus aplicativos e de 24 milhões de acessos mensais aos seus canais digitais.

Seguindo a tendência de aquisições, a RD também anunciou seu investimento na Healthbit, startup focada na redução do custo de saúde das empresas, por meio da promoção da saúde dos seus funcionários e da prevenção de doenças.

A aquisição faz parte da RD Ventures, plataforma de investimento em startups da RD, que também realizou aportes na Manipulaê, marketplace de farmácias de manipulação, e na Techfit, empresa focada no desenvolvimento de aplicativos, jornadas e conteúdos para a promoção de hábitos saudáveis.

“Apesar de desafiador, 2020 nos deu a oportunidade de materializar o nosso propósito de cuidar de perto da saúde e bem-estar das pessoas, em todos os momentos da vida, e de avançar na nossa estratégia da Nova Farmácia", diz Marcílio Pousada, presidente da Raia Drogasil.

Além disso, Pousada cita que a rede avançou na digitalização da relação com o cliente dentro e fora da loja. Dentro das unidades isso se traduz pelas ofertas exclusivas digitais e com o lançamento do Stix, programa de pontos em parceria com o GPA, ambos baseados integralmente em aplicativos.

Fora da loja, outros serviços foram aperfeiçoados, como o compre e retire e as entregas de vizinhança, ambos gratuitos e disponíveis em 100% das lojas, e via entregas motorizadas em 1 a 4 horas. 

 

FOTO: Freepik

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas