Conheça os unicórnios brasileiros de 2021

O status é dado para startups que atingem avaliação de mercado bilionária em dólares. Ao todo, o Brasil acumula 25 empresas desse porte e onze delas foram nomeadas no último ano

Mariana Missiaggia
10/Jan/2022
  • btn-whatsapp
Conheça os unicórnios brasileiros de 2021

O ano de 2021 deu ao Brasil o recorde de criação de unicórnios, ou seja, startups com valor de mercado acima de U$ 1 bilhão. Ao todo, 11 empresas se uniram a outros nomes bilionários já consolidados no país como Nubank, Loggi, Arco e Creditas.

Considerado um status raro e difícil de ser alcançado, o mercado brasileiro já acumula 25 unicórnios dentro de um universo de mais de 14 mil startups. A primeira startup bilionária brasileira foi o aplicativo de transporte 99, em janeiro de 2018. Neste ano, os unicórnios se espalharam pelos setores de e-commerce, mídia, fintech, segurança e logística.

Representado por criaturas mágicas da mitologia grega, o termo foi utilizado pela investidora Aileen Lee, do fundo americano Cowboy Ventures, para definir as startups que conseguem atingir a marca de U$ 1 bilhão em avaliação de mercado.

QUEM CHEGOU LÁ EM 2021

Em 2021, as apostas nessas empresas brasileiras superaram todos os níveis de investimento já vistos. Foram mais de U$ 8 bilhões nos primeiros 11 meses do ano, uma alta histórica quando o assunto é investimento de venture capital em startups.

1 - MADEIRA MADEIRA

A curitibana Madeira Madeira foi a primeira startup a assumir o posto de unicórnio em 2021, ainda no mês de janeiro. A empresa de venda de móveis e produtos para reforma no e-commerce se tornou alvo de fundos como SoftBank, Dynamo, Flybridge e Monashees em uma rodada de 190 milhões de reais que avaliou a empresa em US$ 1 bilhão.

Fundada em 2009 pelos empreendedores Daniel Scandian, Marcelo Scandian e Robson Privado como uma loja on-line, se tornou um marketplace com mais de 1 milhão de itens anunciados e com uma operação de mais de 40 lojas físicas e centros de distribuição.

2 - HOTMART

A paranaense recebeu um cheque de R$ 735 milhões da TCV, em março do último ano. Como plataforma para criação de cursos e conteúdos para pessoas que queiram espaço na internet para criar e gerenciar negócios, hoje a startup atende criadores de 185 países.

3 - UNICO

Empresa de soluções de proteção de identidade digital, a Unico tem na lista de clientes grandes nomes como Magazine Luiza e SoftBank.

Em agosto, a startup anunciou um aporte de R$ 625 milhões em rodada liderada pelos fundos da General Atlantic e SoftBank, o que a tornou um unicórnio.

4 - MERCADO BITCOIN

Dona do posto de primeiro unicórnio do mercado de criptomoedas do Brasil, o negócio foi alavancado pelo fundo japonês Softbank. O investimento na startup foi superior a R$ 1 bilhão.

O Mercado Bitcoin é uma corretora de criptoativos que pertence à holding 2TM. São quase 3 milhões de clientes gerenciando seus investimentos em cripto pela startup, agora avaliada em U$ 2,1 bilhões.

5 - NUVEMSHOP

Plataforma argentina, a empresa de e-commerce foi radicada no Brasil e, por isso, é considerada um unicórnio brasileiro. 

O aporte de R$ 2,6 bilhões em uma rodada série E veio de fundos internacionais, como Tiger Global (que já aportou no Uber) e também o Insight Partners (investidor do Alibaba).

Agora valendo R$ 16 bilhões, a Nuvemshop segue criando ferramentas que ajudam uma base de 90 mil pequenos lojistas da América Latina a venderem no e-commerce, de pagamentos a logística.

6 - FRETE.COM

Resultado da união das startups de transporte e logística rodoviária CargoX, FreteBras e Fretepago, o grupo recebeu aporte de R$ 1,1 bilhão do SoftBank e também da Tencent, com a missão de conectar empresas e motoristas com tecnologia com atuação em toda a América Latina.

7 - CLOUDWALK

Do setor de pagamentos, a startup se tornou unicórnio após uma rodada de U$ 150 milhões liderada pela americana Coatue e pelos jogadores de futebol americano Larry Fitzgerald e Kelvin Beachum, em novembro.

O mote da Cloudwalk é a InfinitePay, uma maquininha de cartões voltada para pequenas empresas, além de outras funções como link para pagamentos e carteira digital para os mais de 150 mil clientes pelo Brasil.

8 - DAKI

Startup de delivery, captou US$ 260 milhões de fundos como Kaszek Ventures e Monashees com a promessa de levar as entregas de até 15 minutos para todo o país.

Com uma operação própria, dos armazéns à tecnologia, o negócio funciona baseado em uma rede de entregadores autônomos para realizar a entrega de pedidos feitos nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

9 - MERAMA

Fundada por dois brasileiros, Renato Andrade e Guilherme Nosralla, e outros três mexicanos, Felipe Delgado, Olivier Scialom e Sujay Tyle, a Merama quer ser o principal conglomerado de marcas digitais da América Latina.

Sua trajetória é escrita pela aquisição de marcas já bem-sucedidas em grandes marketplaces, e isso fez a startup atingir um valor bilionário de mercado, mesmo com menos de um ano de existência. Em dezembro, a empresa captou R$ 60 milhões com SoftBank e Advent.

10 - FACILY

Aplicativo de vendas no modelo social commerce, para compras coletivas com preços mais acessíveis, a startup se tornou um unicórnio após receber um investimento de U$ 135 milhões, em dezembro, elevando seu valor de mercado acima de U$ 1 bilhão.

A Facily foi fundada por Diego Dzodan, Luciano Freitas e Vitor Zaninotto em 2018.

11 - OLIST

A paranaense Olist foi a penúltima startup a atingir o status de unicórnio em 2021. A empresa é dedicada a criar soluções para facilitar o dia a dia de lojistas que querem digitalizar o negócio e vender on-line em marketplaces. Investimento de longa data de fundos como Advent, SoftBank e do banco americano Goldman Sachs, o Olist alcançou valor de mercado de US$ 1 bilhão após uma rodada série E de R$ 1 bilhão.

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas