Negócios

No topo da ACSP, o novo Piselli Boa Vista


Nova unidade do restaurante comandado pelo empresário Juscelino Pereira abriu as portas nesta terça-feira, 1 de junho, e tem como base o 12º andar do prédio da Associação Comercial de São Paulo


  Por Mariana Missiaggia 01 de Junho de 2021 às 07:00

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


De volta às origens. É assim que o empresário Juscelino Pereira define a inauguração do Piselli Boa Vista, uma nova unidade de seu negócio, que aconteceu nesta terça-feira (1/6). 

Localizado no último andar (12º) do prédio da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), na rua Boa Vista, Centro histórico da capital paulista, o espaço tem uma vista privilegiada para o Pátio do Colégio, e abrirá de segunda a sexta-feira para o almoço, das 11h30 às 16h. 

Foi neste mesmo endereço que Juscelino teve sua primeira oportunidade na alta gastronomia, na década de 1990. Como garçom do restaurante do Jockey Club, em um edifício na esquina da rua Boa Vista com a Ladeira Porto Geral, o empresário atendeu seus primeiros clientes internacionais, se aproximou de novas técnicas de serviço e hospitalidade e entendeu que receber bem seria seu propósito de vida.

Dali, foi para o Jardins, local, à época, dos estabelecimentos gastronômicos mais finos da cidade. Em poucos meses, foi de ajudante de garçom à maitre do salão. Pouco tempo depois, conquistou uma vaga de ajudante de sommelier no tão sonhado Fasano, e muito além dos cargos que viria a ocupar, se tornou um estudioso sobre vinhos, produção, formas de servir, manusear a garrafa e harmonizar a bebida lidando diariamente com rótulos que custam milhares de reais.

Em paralelo a todo o conhecimento que ia adquirindo, Juscelino aperfeiçoava também seu atendimento. Recebia os clientes, era atento às mesas que cada um escolhia, memorizava preferências, drinks favoritos, anotava o que haviam comido nas últimas refeições para em outras oportunidades sugerir pratos e bebidas que poderiam agradar, e outras atitudes que personalizavam seu atendimento e acabavam por criar uma intimidade profissional com quem chegasse ao restaurante.

Destaque entre os funcionários, Juscelino foi o escolhido para a figura de maitre no recém-inaugurado Gero, restaurante aberto em 1994 para ser um bistrô mais informal de uma rede totalmente sofisticada.

Embora tivesse chegado ao ponto alto, não se esquecia de uma frase de seu avô, que dizia que cada homem tem que ter o seu próprio negócio até os 35 anos. Àquela altura, lhe faltava menos de um ano para a data.

Por essa razão, montou seu plano de negócios, que precisaria de quatro sócios - clientes que se tornaram amigos e que não tinham nenhum contato entre si, mas que mesmo assim toparam a empreitada. Com 60% do negócio, caberia a Juscelino dar rumo ao restaurante.

Ao escolher o nome do novo estabelecimento, Juscelino se lembrou de como foi parar em São Paulo e se tornou referência no setor de restaurantes. Ao relembrar sua primeira empreitada profissional, o empresário, que é natural de Joanopólis, diz que sua trajetória como agricultor, embora fracassada, foi determinante para seu futuro como empresário.

Trabalhando no campo, ainda em Joanópolis, Juscelino escolheu para plantar uma leguminosa que não havia na região, a ervilha. A plantação, no entanto, não deu certo. Só depois de ter toda a produção vendida, descobriu que havia comprado outro tipo de semente e que o tempo correto de colheita já havia passado.

Foi após essa decepção que ele se muda para São Paulo e entra para o ramo. Quando pôde abrir seu próprio estabelecimento, Juscelino fez questão de se referir ao começo de tudo. O nome da casa - Piselli - é uma referência ao grão, já que em italiano, significa ervilha e que hoje, decora todos os pratos criados por Juscelino.

A tradição vale também para o novo Piselli Boa Vista, que terá um cardápio em homenagem à história do Centro e sua importância para a consolidação do mercado financeiro paulista alinhado à gastronomia italiana.

Juscelino destaca a já famosa Cotoletta alla Milanese, prato de Milão, que na opinião do empresário tem tudo a ver com o clima cosmopolita que abriga o novo restaurante. Além disso, Juscelino homenageia a cidade com um prato bem paulistano que poderá ser apreciado somente no Piselli Boa vista: o Filet San Paolo - bife acebolado, arroz, feijão e batata frita.

Nas últimas semanas, Juscelino diz ter se dedicado pessoalmente a nova ambientação do espaço, readequando a cozinha, escolhendo a nova pintura das paredes, selecionando louças, determinando toda a disposição de mobiliário a fim de garantir distanciamento, boa circulação e conforto, e dando personalidade ao restaurante que terá capacidade para receber 55 pessoas.

A chegada do Piselli à sede da ACSP partiu de um convite feito ao empresário pelo próprio presidente da entidade, Alfredo Cotait, um dos clientes que Juscelino costumava atender como garçom e que mais tarde, passaria a frequentar seus restaurantes. 

"O Centro sempre me impactou. Há muitos anos, meus finais de semana se resumiam a passear pelo Largo do Paissandu, comer bauru no Ponto Chic", diz. "É um orgulho reacender a chama gastronômica do Centro de forma segura, confortável e com a privacidade que nossos clientes gostam".






Publicidade






Publicidade









Publicidade