Negócios

CMEC da Facesp premia empreendedorismo feminino


Prêmio Tarsila do Amaral 2020 homenageou cinco importantes personalidades do universo feminino em reconhecimento ao trabalho de micro, pequenas e médias empresárias de sucesso


  Por Mariana Missiaggia 15 de Dezembro de 2020 às 13:29

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


A data de hoje (15/12) marcou a segunda edição do prêmio Tarsila do Amaral promovido pelo Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC) da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Em uma cerimônia virtual transmitida por meio do aplicativo Zoom, Ana Cláudia Badra Cotait, presidente do CMEC, se reuniu com empreendedoras de todo o País para reconhecer o trabalho de micro, pequenas e médias empresárias que dividiram suas histórias de sucesso com foco na transformação social.

Trajetórias como a de Débora Pieretti, idelizadora do Instituto Amor em Mechas, foram compartilhadas durante a votação aberta ao público. Trata-se de um projeto solidário entre mulheres que estejam dispostas a doar suas mechas. Transformados em perucas, os fios ajudam a recuperar a autoestima e colaboram no tratamento de pacientes que perderam seus cabelos por causa da quimioterapia ou alopecia.

Foram mais de 2,7 mil votos - deste total, 56% escolheu a história Débora como vencedora do prêmio empreendedora revelação - categoria criada neste ano. As idealizadoras dos projetos Piraporando, Colégio Tarsila do Amaral (Limeira), Rosi Brinquedos e Alere Projetos Educacionais ficaram entre as cinco maiores destaques, respectivamente, segundo avaliação de um júri composto por organizadores do evento e também por votação popular.

As empreendedoras premiadas ganharam de R$ 400 a R$ 3 mil e bolsas de estudos de até 100% na Faculdade do Comércio (FAC), mantida pela ACSP e Facesp. Trata-se da única instituição de ensino do Brasil com foco total para o setor do varejo. 

Nina Silva, uma das fundadoras do movimento Black Money; Mônica Monteiro, que acaba de assumir a diretoria executiva de todos os canais pagos do Grupo Bandeirantes; Fernanda Feitosa, diretora e fundadora do Festival Internacional de Arte de São Paulo (SP Arte); Andreza Chagas, criadora de marca própria de jeans-wear; e Ilana Trombkla, cofundadora da Frente Parlamentar do Programa Antártico Brasileiro também foram homenageadas na ocasião.

“Nós trabalhamos para estimular a mulher a empreender, a inovar e a melhorar a cada dia a gestão de seu próprio negócio”, afirmou Ana Cláudia. 

Também participaram do evento Alfredo Cotait, presidente da ACSP e Facesp, Alessandra Andrade, coordenadora do Conselho de Inovação e vice-presidente da ACSP e Wilson Victorio Rodrigues, diretor-geral da FAC.

HISTÓRIA DO PRÊMIO

Em 2019, a presidente do Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura, Ana Cláudia Cotait, procurou a sobrinha-neta da artista modernista e coordenadora dos projetos ligados à pintora, Tarsilinha do Amaral, para falar sobre a iniciativa da ACSP e da Facesp.

A empresária, então, cedeu a chancela do prêmio às entidades ligadas ao setor do varejo. “É uma honra podermos dar este incentivo em prol do fomento da cultura e do empreendedorismo feminino, pois a cultura, quando associada ao empreendedorismo, promove as pessoas, amplia os negócios e consolida a cidadania”, diz Ana Cláudia.

O prêmio foi criado no ano passado para homenagear trabalhos de mulheres conectados diretamente à cultura e ao empreendedorismo. Em 2019, foram contempladas com três réplicas da obra Abapuru (1928), uma das principais pinturas a óleo de Tarsila que retrata o período antropofágico do movimento modernista brasileiro: Beatriz Mendes Gonçalves Pimenta Camargo, primeira mulher a presidir o Museu de Arte de São Paulo (MASP); Luiza Helena Trajano, administradora da rede varejista Magazine Luiza; e Eva Wilma, consagrada atriz e bailarina brasileira. 






Publicidade





Publicidade







Publicidade