Veja o ranking das cidades mais violentas do Brasil

A Bahia ocupa as quatro primeiras posições da lista das 50 cidades com mais homicídios por 100 mil habitantes

Redação DC
20/Jul/2023
  • btn-whatsapp

*com agências

A cidade de Jequié, no interior da Bahia, teve a mais elevada taxa de homicídios por 100 mil habitantes no Brasil no ano passado. O dado é do novo anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que foi divulgado nesta quinta-feira, 20/7.

De acordo com o documento, o município baiano teve uma taxa de 88,8 assassinatos para cada grupo de 100 mil pessoas. A Bahia ocupa as quatro primeiras posições da lista das 50 cidades mais violentas. Além de Jequié, aparecem no topo os municípios de Santo Antônio de Jesus, Simões Filho e Camaçari.

Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, Sorriso, no Mato Grosso, e Altamira, no Pará, também possuem taxas de homicídio elevadas.

A lista tem como referência as taxas de mortes violentas intencionais (MVIs), divulgadas pelas secretarias de segurança pública de cada Estado. As MVIs levam em conta os crimes de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte, feminicídio e mortes por intervenção policial.

DADOS GERAIS

De maneira global, o Brasil registrou queda de 2,4% nas mortes violentas intencionais de 2022 para 2021, passando de 48,4 mil para 47,5 mil. Na média geral, a taxa de mortes violentas a cada 100 mil habitantes caiu de 24 para 23,4.

Os crimes de homicídio doloso recuaram 1,7% entre 2021 e 2022. Os latrocínios tiveram queda de 15,3%. Por outro lado, as lesões corporais seguidas de morte cresceram 18% e os assassinatos de policiais aumentaram 30% no período.

Das cinco regiões do país, três tiveram alta nas mortes violentas intencionais: Sul (3,4%), Norte (2,7%) e Centro-Oeste (0,8%). As quedas ocorreram no Nordeste (-4,5%) e no Sudeste (-2%), o que puxou a redução geral dos números em todo o país.

Conheça as cidades com mais homicídios do Brasil (taxa por 100 mil habitantes)

Jequié (BA): 88,8

Santo Antônio de Jesus (BA): 88,3

Simões Filho (BA): 87,4

Camaçari (BA): 82,1

Cabo de Santo Agostinho (PE): 81,2

Sorriso (MT): 70,5

Altamira (PA): 70,5

Macapá (AP): 70,0

Feira de Santana (BA): 68,5

Juazeiro (BA):68,3

Teixeira de Freitas (BA): 66,8

Salvador (BA): 66,0

Mossoró (RN): 63,5

Ilhéu (BA): 62,1

Itaituba (PA): 61,6

Itaguaí (RJ): 61,6

Queimados (RJ): 61,2

Luís Eduardo Magalhães (BA): 56,5

Eunápolis (BA): 56,3

Santa Rita (PB): 56,0

Maracanaú (CE): 55,9

Angra dos Reis (RJ): 55,5

Manaus (AM): 53,4

Rio Grande (RS): 53,2

Alagoinhas (BA): 53,0

Marabá (PA): 51,8

Vitória de Santo Antão (PE): 51,5

Itabaiana (SE): 51,2

Caucaia (CE): 51,2

São Lourenço da Mata (PE): 50,3

Santana (AP): 49,4

Paragominas (PA): 49,3

Patos (PB): 47,5

Paranaguá (PR): 47,3

Parauapebas (PA): 46,9

Macaé (RJ): 46,7

Caxias (MA): 46,5

Parnaíba (PI): 46,3

Garanhuns (PE): 44,9

São Gonçalo do Amarante (RN): 44,9

Alvorada (RS): 44,8

Jaboatão dos Guararapes (PE): 44,6

Duque de Caxias (RJ): 44,3

Almirante Tamandaré (PR): 44,2

Castanhal (PA): 44,2

Campo Largo (PR): 43,3

Porto Velho (RO): 42,1

Ji-Paraná (RO): 41,8

Belford Roxo (RJ): 41,8

Marituba (PA): 41,6

 

IMAGEM: Freepik

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas