Receita conhecida

Menos emoção na hora de votar e mais atenção ao programa dos candidatos!

Aristóteles Drummond
03/Out/2018
  • btn-whatsapp

Campanha eleitoral e agravamento da crise econômica provocam naturalmente a busca de motivos e da análise das soluções.

No mundo da comunicação, da informação e da liberdade do debate de ideias, a população, em geral, está mais consciente dos problemas.

Mesmo assim, ainda com a tendência a acreditar em promessas e na fraude que é se atribuir ao Estado poderes de resolver todos os problemas, quando os recursos são escassos e obtidos junto à população que paga, direta ou indiretamente, impostos.

Existe um consenso entre analistas e economistas modernos de que, no mundo competitivo em que vivemos, não é possível atrair investimentos com carga fiscal elevada, burocracia, corrupção e leis trabalhistas paternalistas.

O Estado moderno não comporta grandes corporações estatais monopolistas e muito menos uma administração pública (dos Três Poderes) inchada, cara e lenta (no caso do Judiciário).

O investidor, que é quem gera empregos e paga impostos, teme o radicalismo ambiental e trabalhista e a excessiva interferência do Judiciário no mundo dos negócios.

A Heineken, por exemplo, estaria fechando duas fábricas, no Nordeste, em função de sentença que a obrigaria a vender seus produtos a empresa que já lhe deve cinquenta milhões de reais. Logo no Nordeste, onde é tão difícil atrair investidores e oferecer bons empregos.

A questão da segurança pública também tem inibido investimentos estrangeiros, prejudicado o turismo e até provocando a fuga de famílias com disponibilidade financeira. Muitos jovens formados procuram colocação no exterior.

O presidente Temer tentou promover reformas e só conseguiu mesmo a trabalhista, que já está aliviando a dolorosa questão do emprego. Pena que tenha se cercado tão mal e feito uma avaliação equivocada do Congresso, promovendo o toma lá, dá cá.

A corrupção e a impunidade, com os ganhos da Lava-Jato, encalharam na demora do Judiciário e nos vícios de um Código do Processo Civil e Penal que facilita a morosidade – graças ao número de recursos protelatórios e a natural vantagem oferecida a quem dispõe de recursos para pagar bons advogados. Infelizmente, uma reforma para valer nem é tentada.

Impressiona que a economia nacional gere tanta receita e o poder público gaste tão mal o que arrecada. Saúde e educação têm recursos, mas são mal geridos. Os bons estabelecimentos de ensino são particulares ou militares; os melhores hospitais, privados.

Por tudo isso, é bom ressaltar: menos emoção na hora de votar e mais atenção ao programa dos candidatos!

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio

 

 

 

 

 

 

Indicadores de Crédito da Boa Vista

Índice
Mar
Abr
Mai
Demanda por crédito
0,6%
-4,3%
--
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
-1%
1,1%
--
Inadimplência do consumidor
5,1%
5,0%
7,5%
Recuperação de crédito
6,4%
1,8%
-5,6%
mais índices

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mar
Abr
Mai
IGP-M
1,1477
1,1466
1,1072
IGP-DI
1,1557
1,1353
1,1056
IPCA
1,1130
1,1213
1,1173
IPC-Fipe
1,1096
1,1226
1,1227

Vídeos

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

2º Encontro "Liberdade para Empreender”

SOS Empreendedores - Crédito e negociação de dívidas

Colunistas