Para frente e para o alto

As medidas propostas para serem aprovadas nos próximos doze meses inspiram confiança. E algumas podem ser efetivadas ainda este ano, especialmente as que independem de mexer na Constituição

Aristóteles Drummond
12/Nov/2019
  • btn-whatsapp
Para frente e para o alto

O slogan do velho Adhemar de Barros parece que pode servir para o Ministro Paulo Guedes e sua equipe. Os ventos sopram em favor da retomada do crescimento e do emprego. Até a crise que vai se abater sobre a Argentina, que assume uma linha irresponsável e demagógica, que não tem chance de dar certo, vai atrair capitais e até mesmo mão de obra qualificada, em que nossos vizinhos são bem servidos.

As medidas propostas para serem aprovadas nos próximos doze meses inspiram confiança. E algumas podem ser efetivadas ainda este ano, especialmente as que independem de mexer na Constituição. Roberto Campos anteviu que a Constituição representava um desastre para o país. Mais uma vez estava certo.

Pena que não se dê espaço ou comentários sobre algumas atitudes do Presidente Bolsonaro dignas de registro. A começar pelo apoio firme a equipe econômica, que é de excelência comprovada. E a decisão de não iniciar obras e sim terminar o imenso estoque de obras paradas e abandonadas por todo o país. E os resultados já se fazem sentir, sendo ponto alto os 60Km da BR 163 no Pará, que parte do ano era um atoleiro que prejudicava a safra da soja de Mato Grosso, os caminhoneiros e nosso comércio exterior.

Liberadas as novas concessões, as atenções devem de ser voltadas para retirar entraves ambientais e jurídicos de obras importantes, incluindo os acessos rodoviários ao Rio de Janeiro, todos em obras embargadas - BR 040 – ou paradas Arco Metropolitano e duplicação da serra das Araras na Dutra. Conectar parques eólicos isolados, numa inacreditável irresponsabilidade, ao sistema urge. Percebe-se que faltava mais bom senso do que recursos financeiros.

O sucesso do ENEN mostra que podemos partir para a valorização do ensino técnico profissional em larga escala, para melhorar a qualidade da mão de obra e gerarmos melhores empregos. Mais empregos e melhores salários.
Os estados e municípios precisam se ajustar a nova realidade e assumir novas responsabilidades, a começar pela área previdenciária, agora com respaldo na legislação aprovada. E parar de inchar o setor publico com nomeações de inspiração eleitoreira.

Assim vamos oferecer confiança a quem queira investir para ganhar e fazer rodar a economia.

FOTO: Pixabay

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas