“MP da Liberdade Econômica pode gerar 3,7 milhões de empregos em dez anos”

A previsão é de Paulo Uebel, o terceiro na foto, da esquerda para a direita, Secretário Especial de Desburocratização, em palestra realizada na ACSP. A Medida Provisória será votada terça-feira, 13/8, na Câmara Federal

Wladimir Miranda
09/Ago/2019
  • btn-whatsapp
“MP da Liberdade Econômica pode gerar 3,7 milhões de empregos em dez anos”

Na próxima terça-feira, 13/08, a Medida Provisória 881/2019, que ficou conhecida como MP da Liberdade Econômica, deverá ser votada na Câmara Federal. O Secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Antônio Spencer Uebel, idealizador da MP, participou da sessão plenária realizada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), nesta quinta-feira, 8/8, para falar a respeito dos benefícios que as mudanças podem proporcionar aos empresários.

A sessão plenária foi presidida por Alfredo Cotait Neto, presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que lembrou a importância do trabalho realizado por Paulo Uebel para a elaboração da MP.

“É uma honra receber o secretário da desburocratização. Esta é uma excelente oportunidade para que os empreendedores aqui presentes possam trocar ideias sobre a MP 881. Queremos um novo país, sem burocracia para quem trabalha e empreende. Não podemos ter o peso da máquina emperrando o nosso crescimento”, disse Alfredo Cotait, para uma plateia de 100 empreendedores.

Na palestra, Paulo Uebel mostrou números alarmantes, que emperram o desenvolvimento do país.

“O Brasil ocupa a 150ª posição no mundo em relação à liberdade econômica e a 109ª colocação em termos de facilidades para se fazer negócios”.

Caso a MP da Liberdade Econômica seja aprovada na Câmara Federal e depois no Senado, as novas medidas implantadas podem gerar 3,7 milhões de novos empregos em 10 anos e um crescimento de 7% no Produto Interno Bruto (PIB), segundo Paulo Uebel, que toma por base pesquisa realizada pelo Ministério da Economia.

Os principais pontos da MP da Liberdade Econômica são:

1 - Dispensar alvarás e permissões para a abertura e fechamento de empresas de atividades de baixo risco, ou seja, pequenos comércios.

2 - Dar ao trabalhador o direito de trabalhar em qualquer horário e dia que melhor lhe convier, respeitando a legislação trabalhista.

3 – Propiciar a possibilidade de ter decisões administrativas que tratem todos igualmente.

4 - Transformar as empresas digitalmente. A Carteira de Trabalho passaria a ser digital.

5 – A obrigatoriedade de que todos os órgãos públicos fixem prazos para a execução de serviços. Atualmente, os cidadãos são obrigados a cumprir a regulamentação do poder público. A MP vai exigir que haja reciprocidade neste aspecto.

“São medidas que deixam o estado mais técnico, mais eficiente e mais focado em prestar um serviço eficiente ao cidadão”, afirma Paulo Uebel.

Como se trata de uma Medida Provisória, ela será aprovada com a maioria simples, na Câmara Federal e no Senado.

Também compuseram a mesa o Deputado Federal Marco Antonio Bertaiolli, vice-presidente da Facesp; George Pinheiro, presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB); Walter Iioshi, presidente da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), e Abdo Antonio Hadade, vice-presidente da ACSP.

FOTO WLADIMIR MIRANDA/Diário do Comércio

 

 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas