Estado Islâmico assume atentados em Paris que mataram mais de cem

O presidente François Hollande decreta luto nacional e pede aos franceses "unidade e sangue-frio" diante do "ato de guerra". Europa, em alerta, prepara novas medidas de segurança contra o terrorismo

Guerra ao terror
14/Nov/2015
  • btn-whatsapp
Estado Islâmico assume atentados em Paris que mataram mais de cem

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) assumiu oficialmente neste sábado (14/11), em comunicado, os atentados terroristas de ontem (13) à noite em Paris, que causaram pelo menos 127 mortos e 180 feridos.

"Oito irmãos usando cintos explosivos e armados com fuzis atacaram ocais cuidadosamente escolhidos, no coração de Paris", afirma o comunicado, em árabe e em francês.

"Que a França e aqueles que seguem seu caminho saibam que permanecerão entre os alvos do Estado Islâmico", acrescentou a organização extremista sunita.

De acordo com a nota, os ataques de Paris seriam uma resposta aos bombardeios contra os muçulmanos "em terras do califado", ou seja, às regiões do Iraque e da Síria controladas pelo EI.

O presidente francês, François Hollande, já tinha já atribuído os ataques ao grupo terrorista, que qualificou como um "ato de guerra" cometido por "um exército terrorista" contra a França.

Hollande pediu aos franceses "unidade e sangue-frio", ao mesmo tempo em que decretou o "luto nacional por três dias", na sequência dos ataques terroristas de sexta-feira.

"O que aconteceu ontem é um ato de guerra (...) que foi cometido pelo Estado Islâmico, organizado a partir do exterior e com cúmplices interiores que o inquérito deverá estabelecer", afirmou Hollande.

O presidente da França acrescentou que falará segunda-feira (16) no Parlamento francês, para informar sobre as medidas que adotará.

Os ataques terroristas ocorreram em pelo menos seis locais diferentes da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o estádio nacional, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

LEIA MAIS: Paris sob ataque;Hollande manda fechar as fronteiras da França

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controle de fronteiras na sequência do atentado classificado por François Hollande classificou como “ataques terroristas sem precedentes no país”.

 

LEGENDA DA FOTO

 

EUROPA EM ALERTA

O primeiro ministro britânico David Cameron e governantes de vários países europeus reúnem seus conselhos de segurança para avaliar os atentados de Paris.

"Vou presidir uma reunião da Comissão de Segurança esta manhã, depois dos terríveis e repugnantes atentados terroristas em Paris", declarou Cameron em sua conta no Twitter.

O governo da Itália decidiu aumentar o nível de alerta no país e convocou uma reunião de emergência da Comissão de Ordem e Segurança Pública, presidida pelo primeiro-ministro, Matteo Rinzi.

O aumento dos controles de segurança afetará principalmente Roma e Milão, enquanto o nível de alerta máximo atingirá todo o território, informou o Ministério do Interior italiano.

LEIA MAIS: O historiador Sergio Paulo Muniz Costa reflete sobre a sexta-feira,13,em Paris

A chanceler alemã, Angela Merkel, convocou uma reunião ministerial de crise e prometeu "fazer tudo" para ajudar a França no "combate contra os terroristas".

"Vou me reunir durante o dia com os ministros, de modo a analisar o desenvolvimento da situação na França e de todas as questões relacionadas", declarou Merkel.

"Vamos fazer tudo para ajudar a combater os autores e os instigadores desses atentados. Estamos ao lado da França, afirmou Angela Merkel, informa ndo que está "em contato direto" com o governo francês.

A chanceler acrescentou que "este atentado contra a liberdade não visa apenas Paris, mas atinge todos".

O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, também preside hoje de manhã, no Palácio da Moncloa, uma reunião do Conselho de Segurança Nacional para analisar a situação depois dos atentados de Paris.

*Com informações da Agência Brasil

 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas