Black Friday gerou 60% a mais de deslocamentos para lojas físicas

O grande destaque ficou para as lojas de departamento, cujo crescimento de deslocamento foi de 116% em 2018 em comparação com 2017, de acordo com o Waze

Estadão Conteúdo
02/Dez/2019
  • btn-whatsapp
Black Friday gerou 60% a mais de deslocamentos para lojas físicas

O deslocamento de pessoas para lojas físicas durante a Black Friday foi 60% maior do que em outras sextas-feiras comuns de 2018, apontou um levantamento feito pelo aplicativo de navegação Waze.

Para chegar à conclusão, o Waze analisou o comportamento de seus usuários ativos no dia da Black Friday 2018 e comparou com outras sextas-feiras do mesmo ano, pois o último dia útil da semana é o que normalmente já apresenta uma maior movimentação em relação aos outros.

Somente em São Paulo, o número de usuários ativos no ano era de 4,4 milhões; e no Rio de Janeiro, 1 milhão. Na base de dados do Waze, não há distinção entre os consumidores de fato e entregadores ou motoristas de aplicativo.

Mas, segundo explicou a gerente de Desenvolvimento de Vendas para o Brasil, Bianca Waclawek, a categoria que se encaixa como "profissionais" representa menos de menos de 5% da base de usuários. Além disso, o fluxo de navegação para lojas físicas foi 29% maior em 2018, em comparação com o mesmo período de 2017.

O grande destaque ficou para as lojas de departamento, cujo crescimento de deslocamento foi de 116% em 2018 em comparação com 2017. Em segundo lugar, ficaram os supermercados (70%), cujo pico de deslocamento no ano se deu justamente na Black Friday.

Já os shoppings ficaram em terceiro (63%) - a Black Friday é a segunda data que mais carrega clientes para esses centros comerciais, perdendo apenas para o Natal. A tendência é que os consumidores saiam mais de casa para comprar produtos.

Segundo uma pesquisa de tendências para a Black Friday 2019 do Google, esta é a edição em que o número de compradores em lojas físicas deve praticamente se igualar ao online, em uma crescente que vem desde pelo menos 2017.

A mudança de comportamento se dá, especialmente, pelos consumidores omnichannel - que compram online e passam para retirar na loja ou o contrário, que passam na loja para testar um produto e depois compram pela internet.

Entre as razões que levam as pessoas a deixarem de comprar online em 2018, ainda de acordo com o levantamento do Google, foram o valor do frete (48%), segurança (22%), possibilidade de testar e ver o produto (20%) e tempo de espera (18%).

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas