6 pensamentos de Nizan Guanaes para a sua empresa

À frente da Consultoria N Ideias, o publicitário atende grandes clientes como Itaú, Marfrig, Ânima, Suzano, Magalu e JHSF, mas acredita em empresas pequenas e ágeis

Mariana Missiaggia
15/Mar/2022
  • btn-whatsapp
6 pensamentos de Nizan Guanaes para a sua empresa

Um estrategista. É assim que Nizan Guanaes se define. Publicitário, fundou o maior conglomerado de comunicação da América Latina (Grupo ABC), já comandou 18 agências e 2,5 mil funcionários. Agora, se dedica a sua "pequena grande consultoria", a N Ideias, com poucos assistentes. Hoje ele acredita nesse modelo de empresa, simples e ágil. 

Guanaes levanta uma série de provocações mesclando o conhecimento que acumulou desde que se formou em administração de empresas pela Universidade Federal da Bahia no fim dos anos 1970, e de seus estudos mais recentes, desta vez no programa Owner/President Management (OPM), de Harvard, para líderes empresariais.

Já apontado pelo jornal ­Financial Times como um dos cinco brasileiros mais influentes do mundo e pela revista Fast Company uma das 100 pessoas mais criativas dos negócios, Guanaes é uma referência para pequenos e médios empresários, a quem está habituado a oferecer conselhos nas redes sociais.

Na última segunda-feira (14), Guanaes se reuniu com integrantes do Conselho Político e Social (COPS) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), com quem debateu os rumos do setor empresarial.

"Queremos organizar fóruns, seminários e discutir inovação para contribuir com essa revolução que impacta o varejo. A ACSP é uma entidade de classe que criou um unicórnio [a Boa Vista]. Portanto, estamos tentando nos adequar aos novos tempos e nos transformar", afirmou Alfredo Cotait Neto, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

COTAIT, GUANAES E HERÁCLITO FORTES, COORDENADOR DO COPS, DURANTE REUNIÃO NA SEDE DA ACSP

Desta reunião, selecionamos pensamentos que podem ajudar a repensar uma empresa:

1 - Que venham novos erros!

Para Guanaes, os empresários têm uma decisão fundamental a ser tomada neste contexto de grande volatilidade e incerteza: se suicidar para reencarnar. "É melhor que você se mate do ponto de vista empresarial para fazer algo novo, do que o tempo e as circunstâncias te matarem”, diz.

Segundo o empresário, postergar decisões com medo de errar pode custar seu negócio. E num momento de reinvenção, são os novos erros que trarão novas soluções.

2 - Jovens e pequenas empresas não querem pensar em política, mas dependem dela.

Na perspectiva do empresário, os jovens precisam assumir seu papel, como ocorreu nas gerações passadas.

"A utopia jovem não pode ser criar um unicórnio, fazer IPO e construir um escritório com pufe e uma mesa de pingue-pongue. É preciso ter papel social, lutar pela Amazônia, levantar outras ONGs, contribuir para a presença feminina no mercado de trabalho".

3 - As empresas precisam se tornar triatletas.

Alma de maratonista é ter foco, preparo e se dedicar a uma meta. "Uma maratona lhe obriga a limpar a agenda, a cuidar do sono, da alimentação e a abandonar tudo o que é desnecessário na sua vida. E tudo isso faz de você um empresário ou um profissional muito mais focado".

4 - Estudar e entender sobre inovação.

Ainda vivendo as consequências de uma pandemia e em meio a crises políticas em todo o mundo, segundo Guanaes, estamos todos num momento de "grande reset" em que precisamos tornar nosso tempo mais produtivo e com muito mais propósito.

"Nada que eu tenha aprendido na década de 1970 está valendo agora. Blockchain, metaverso... é disso que tenho que saber. No meu grupo de OPM que estou fazendo em Harvard tenho colegas que são donos de startups bilionárias como 35, 40 anos de idade. Não tem como isso não ser transformador. Quem não se dedica a aprender, está morto", diz.

5 - Toda empresa precisa ser refundada pelo próprio fundador.

Ao narrar a trajetória profissional, Guanaes diz estar na quarta “encarnação”, após vender o Grupo ABC e fundar a N Ideias. "Muitas vezes é sobre como fazer a mesma coisa, mas de maneira completamente diferente”, diz.

Para se reinventar com a mudança do tempo, o empreendedor aponta que é preciso se preparar para ter várias vidas com vários negócios ou estar pronto para criar várias fases de um mesmo negócio.

6 - Em vez de ter sede própria, tenha sede de ser gigante.

Mesa de pingue-pongue, sala de videogame - esse cenário é almejado como a sede dos sonhos para muitos empresários, e pode até parecer muito sedutor dentro de uma empresa, mas não é, segundo Guanaes, que aposta na versatilidade do home office.

"Hoje, lidero uma pequena grande empresa em outro modelo de gestão. Poucos profissionais, porém são os certos. Nos reunimos quando é necessário e, assim, conseguimos fazer um trabalho muito mais sofisticado, numa velocidade muito maior, com mais profundidade. Para mim, esse é o desenho das empresas modernas - ser gigante sem gigantismos".

 

IMAGENS: Gabriel Daniele/ACSP

 

 

 

 

 

 

Indicadores de Crédito da Boa Vista

Índice
Mar
Abr
Mai
Demanda por crédito
0,6%
-4,3%
--
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
-1%
1,1%
--
Inadimplência do consumidor
5,1%
5,0%
7,5%
Recuperação de crédito
6,4%
1,8%
-5,6%
mais índices

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mar
Abr
Mai
IGP-M
1,1477
1,1466
1,1072
IGP-DI
1,1557
1,1353
1,1056
IPCA
1,1130
1,1213
1,1173
IPC-Fipe
1,1096
1,1226
1,1227

Vídeos

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

2º Encontro "Liberdade para Empreender”

SOS Empreendedores - Crédito e negociação de dívidas

Colunistas