Negócios

Em maio, vendas em supermercados crescem 4,71%


Vendas no mês não sofreram impacto pela paralisação dos caminhoneiros, segundo a Abras, mas produtos com estoques menores apresentaram alta nos preços


  Por Redação DC 29 de Junho de 2018 às 16:20

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O setor de supermercados registrou aumento real de 4,71% nas vendas no mês de maio na comparação com o mesmo mês do ano anterior, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). O resultado já leva em conta a inflação do período, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, as vendas reais cresceram 1,92% ante igual período de 2017, segundo a Abras. Já a comparação do desempenho de maio com o do mês anterior, abril, é uma alta de 3,46%.

Em termos nominais, sem descontar a inflação, o crescimento de vendas em maio é de 7,69% ante o mesmo mês de 2017. No acumulado de cinco meses, o crescimento nominal é de 5,23%. 

De acordo com o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto, o resultado acumulado dos supermercados em maio mostra uma estabilidade do setor.

“Tivemos um ligeiro crescimento de 0,17 ponto percentual em relação ao acumulado até abril, já esperado devido ao cenário econômico do País anterior à paralisação dos caminhoneiros", disse.

As vendas de maio, segundo o presidente da ABRAS, não foram impactadas pela paralisação, que se concentrou mais no final do mês, e, como os supermercados trabalham com estoques em torno de 10 a 15 dias, algumas redes mantiveram o abastecimento normal, e os reflexos da paralisação se concentraram mais em junho.

Sanzovo destaca, ainda, que mesmo com o início da paralisação no final de maio, alguns produtos que possuem estoques menores, como os hortifrútis apresentaram alta nos preços.

“Que é o caso da cebola e batata, como mostra o nosso indicador Abramercado”, completa.