Saldo positivo da balança é sinal de recuperação econômica

No último mês de julho, o Brasil teve o maior superávit da série histórica, de US$ 6,3 bilhões

Agência Brasil
14/Ago/2017
  • btn-whatsapp
Saldo positivo da balança é sinal de recuperação econômica

O ministro da Indústria e Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, disse nesta segunda-feira (14/08) que os resultados da balança comercial brasileira mostram que a economia está melhorando.

No último mês de julho, o Brasil teve o maior superávit da série histórica, de US$ 6,3 bilhões. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, a balança teve superávit de US$ 42,5 bilhões.

Pereira destacou que os números, de janeiro a julho, estão em contexto de aumento de 19% nas importações e de 7% nas exportações.

“O que mostra, claramente, que a economia volta a reagir e crescer”, afirmou o ministro, durante evento na Confederação Nacional da Indústria, em São Paulo.

A partir dos resultados, o governo elevou de US$ 55 bilhões para mais de US$ 60 bilhões a estimativa de superávit da balança comercial para 2017.

Caso se confirme, o resultado será o maior anual da série histórica, superando o saldo positivo recorde de US$ 47,5 bilhões verificado em 2016.

Para fortalecer o comércio exterior, Pereira disse que o Brasil está investindo em acordos comerciais, como a tentativa de “reaproximação” com os países da Aliança do Pacífico (México, Colômbia, Peru e Chile) e uma negoaciação para ampliar as parcerias com a Índia.

DESBUROCRATIZAÇÃO

O ministro disse ainda que espera consolidar o processo para reduzir o tempo de abertura de empresas nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro e, então, expadir a proposta para outras partes do país.

“Estamos trabalhando para que, em São Paulo e no Rio de Janeiro – que são as duas cidades onde o banco mundial faz a aferição do relatório do e-business – possamos diminuir o tempo de abertura de empresas de, na média, 117 dias para 7 dias."

"Isso já é uma realidade em ambas as cidades e, depois, vamos estender isso para as demais unidades da federação”, afirmou Pereira.

FOTO: Agência Brasil

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Fev
Mar
Abr
IGP-M
1,1612
1,1477
1,1466
IGP-DI
1,1535
1,1557
1,1353
IPCA
1,1054
1,1130
1,1213
IPC-Fipe
1,1033
1,1096
1,1226