Produtos de Páscoa ficarão mais tempo nos supermercados

Acordo entre a indústria de chocolate e a Abras ampliou em duas semanas a permanência de itens típicos da data nas gôndolas

Estadão Conteúdo
08/Abr/2021
  • btn-whatsapp
Produtos de Páscoa ficarão mais tempo nos supermercados

A indústria de Chocolates e o setor supermercadista prorrogaram o tempo de permanência dos produtos de Páscoa nos pontos de venda do País.

A comercialização dos produtos será realizada por mais duas semanas, segundo acordo firmado entre a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) e a Associação Brasileira dos Supermercados (Abras).

O acordo visa garantir que os consumidores que não conseguiram acessar aos itens até o feriado, devido ao fechamento do comércio em muitas cidades do País, possam fazer suas compras com mais tranquilidade e segurança. A decisão também indica que sobraram mais produtos nas prateleiras do que o esperado.

LEIA MAIS: Por que ovos de Páscoa custam caro?

A previsão da Abras era de que houvesse alta de até 15% nas vendas relacionadas à data. Entre os chocolates, os itens mais baratos estavam entre as principais apostas dos varejistas em volume de vendas. O item caixa de bombom tinha projeção de 12,9% de alta, seguido de barras e tabletes, com aumento previsto em 11,8%, e Ovos de Páscoa até 200 gramas, com alta projetada em 9,4%.

As maiores altas esperadas, no entanto, eram para vinhos importados e bacalhau, porque com a variação do câmbio no último ano, os preços subiram, e o montante em dinheiro das vendas seria consequentemente maior. Esperava-se alta de 15,3% para os vinhos e de 15,6% para o bacalhau, por exemplo.

 

IMAGEM: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas