Namorados devem gastar até R$ 200 com presentes

Roupas, calçados e acessórios lideram intenção de compra, segundo pesquisa ACSP/Pinion

Redação DC
07/Jun/2022
  • btn-whatsapp

Pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), encomendada à Pinion, aponta que as roupas, calçados e acessórios lideram a intenção de presentes no Dia dos Namorados 2022. Pouco mais de 35% dos entrevistados vão presentear na data, enquanto 49,3% disseram que não pretendem comprar. Outros 15% não souberam informar. Foram entrevistadas 1.712 pessoas em todas as regiões do país.

Entre os entrevistados que manifestaram intenção de compra, 38,5% responderam que vão gastar mais do que em 2021, enquanto 38,9% disseram o contrário. Quanto ao gasto médio, 77,2% deve gastar entre R$ 50 e R$ 200.

A pesquisa ACSP/Pinion revelou também que grande parte das compras será realizada em pequenos estabelecimentos (45,3%) e em lojas físicas (63,1%), presencialmente. A forma de pagamento mais citada foi à vista (60,8%). 

Ulisses Ruiz de Gamboa, economista da ACSP, avalia que a intenção de compra de roupas e calçados aumentou levemente em relação à 2021, apesar de se manter abaixo do registrado durante o período pré-pandemia (de 60% para 70%).

"Nessa pesquisa, aparecem itens que não eram mencionados no período anterior à covid-19, tais como cesta de café da manhã e delivery de refeições, refletindo os hábitos do consumidor adquiridos durante o isolamento social”, afirma.  

Para estimular as vendas dos pequenos e médios lojistas paulistanos e deixar o comércio no clima da data, o Conselho do Varejo da ACSP lançou uma ação de marketing com materiais de divulgação e comunicação gratuitos para download. Para acessá-los, clique neste link.

DETALHE DE UMAS DAS PEÇAS DA AÇÃO DO CDV DA ACSP

 

PELO INTERIOR 

As associações comerciais ligadas à Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) também já têm avaliado o cenário para o Dia dos Namorados e preparado campanhas e ações especiais para impulsionar o comércio local com a data. 

Como este ano o dia 12 de junho cairá num domingo, em Bastos, por exemplo, as lojas devem funcionar com horário estendido na sexta-feira (até 22h) e no sábado (até 17h).   

A expectativa otimista de aumento nas vendas, estimada em 7%, será puxada pelo maior relaxamento  em relação à pandemia. "Será uma excelente oportunidade para o consumidor visitar as lojas”, destaca José Cláudio Caldeira, presidente da ACIB.  

Em Campinas, a projeção é de alta de 7,89% nas vendas em geral, e de 10% apenas no e-commerce, que deve gerar um volume maior, segundo o Departamento de Economia da ACIC. A projeção é atingir um faturamento de R$ 112,8 milhões a serem injetados na economia da cidade.

O fim das restrições para abertura de bares, restaurantes, joalheiras e floriculturas também deve impulsionar o crescimento, segundo o economista e diretor da ACIC Laerte Martins. 

“Isso deve atrair um bom número de namorados para comemorar o dia, já que também não é mais obrigatório o uso das máscaras de proteção em ambientes fechados”, explica. Só o valor médio do presente é que evoluiu 11,78% em relação a 2019, diz, demonstrando o efeito inflacionário sobre o preço dos produtos e afetando o poder de compra dos casais. 

A Aicita, de Itatiba investiu na campanha "Eu compro com segurança aqui", mas com foco no Dia dos Namorados, com peças digitais à disposição dos lojistas para estimular as vendas.

Com base em dados da Boa Vista, a expectativa da associação é que 42% dos consumidores presenteiem seu par, sendo que outros 41% pretendem gastar mais na hora da compra.  

Uma pesquisa da ACIM, em Marília, aponta que 59% dos consumidores locais têm intenção de comprar presente dos Namorados, e 72% devem se preparar para comemorar a data.

“Nossa campanha específica para o Dia dos Namorados está pronta e pelo visto o fluxo de consumidores será intenso”, disse o presidente Adriano Luiz Martins, animado após verificar o bom movimento entre as lojas no mês de maio, com a celebração do Dia das Mães. 

Uma curiosidade: como para muitos casais este será o primeiro 12 de junho fora de casa depois de dois anos de pandemia, apenas 31% pretendem fazer uma refeição especial em casa, inferior aos 39% de 2021, evidenciando a troca do lar pelo restaurante em 2022. Assim como o plano de pedir delivery, movimento que caiu de 20% para 16%, aponta Martins.  

Jundiaí espera que as vendas do Dia dos Namorados aumentem até 8% ante 2021, segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Dados da ACE Jundiaí e a consultoria Noonly. Dos 441 consumidores entrevistados de 27/05 a 01/06, 34% pretendem comprar presentes.

A redução do isolamento e o retorno à vida social também mostram que o número de pessoas que não devem presentear por estarem fora de um relacionamento diminuiu de 59,4% para 43,8% - o que mostra que o Dia dos Namorados 2022 tende a ser bem melhor para o comércio do que foi no ano passado, diz o presidente da ACE, Mark William Ormenese Monteiro.

Além de o crescimento de junho também estar atrelado às Festas Juninas, o lojista da cidade que criar promoções e ofertas especiais deve sair na frente, já que 65,33% dos consumidores vão comprar de quem oferecer promoções e descontos. "O comerciante que souber investir em uma estratégia interessante terá mais oportunidade de vendas”, afirma Monteiro.

As lojas de Pompeia estão mobilizadas para concentrar o atendimento no sábado que antecede a data. Rinaldo José Traskini, presidente da ACE Pompeia, acredita no bom movimento devido à expectativa positiva de retomada da economia, e projeta alta média de 5% nas vendas.

“O Natal não foi tão ruim e o Dia das Mães foi animador", diz. “Creio que o Dia dos Namorados sinalizará algo positivo, nos fortalecendo para o Dia dos Pais, Dia das Crianças e Black Friday que, segundo as tendências, serão melhores de movimento”, afirma, citando o impacto positivo sobre o varejo do saque do FGTS e da antecipação do 13º salário de aposentados. 

Depois de o Dia das Mães superar as expectativas do comércio em Santo André, a Acisa acredita que o Dia dos Namorados também deverá ter um bom desempenho e prevê um crescimento de 20% comparado a 2021. Para o presidente Pedro Cia Junior, a data deve aumentar o fluxo de clientes nos restaurantes da região, com maior procura de presentes de vestuário, calçados, perfumaria, bijuterias, joias de pequeno valor, flores e chocolates. 

O comércio de São Bernardo do Campo também já se prepara para a data que fecha a agenda de eventos comemorativos do varejo no primeiro semestre. Mesmo sem fazer projeções, a ACISBEC afirma que a data vem reforçada pela venda de artigos típicos dessa época em função das tradicionais Festas Juninas, que voltaram a acontecer presencialmente. 

A previsão de queda na temperatura também é um indicador de elevação nas vendas, já que vestuário e calçados ficam mais caros em comparação às outras estações do ano. 

“As datas comemorativas estão sendo importantes neste momento de retomada. Agora, os clientes estão mais seguros em fazer compras presenciais, que são mais estimuladoras", diz o presidente Valter Moura. "Mas, apesar de tudo, o consumidor ainda está reticente. Ele vai comprar, mas prefere ser comedido por causa da alta da inflação e aumento dos juros.”

Já em Sorocaba a expectativa é que o Dia dos Namorados movimente as vendas em até 15%, segundo pesquisa da ACSO em parceria com a Athon – Ensino Superior. De acordo com o levantamento, 48% já se decidiram pela compra, e 22% ainda estão indecisos.

“Os números refletem o otimismo causado pela reabertura sem restrições dos estabelecimentos comerciais, apesar do momento de incertezas na conjuntura político-econômica, mostrando recuperação dos prejuízos causados pela pandemia”, avalia o economista Roque Camargo.

Em Sorocaba, neste ano a data não será de 'lembrancinhas'. A maioria deve presentear com mais de um item, sendo os principais: roupas, calçados e acessórios (51%), chocolates (21%), perfumes e cosméticos (18%). Já 36% dos casais devem almoçar/jantar em bares e restaurantes.

Em relação ao ticket médio, em Sorocaba a expectativa é de gastos de aproximadamente R$ 172, valor 38% maior que o de 2021, segundo pesquisa. “Este aumento no valor médio dos presentes indica uma tendência de otimismo, principalmente entre os mais jovens”, reforça o economista.

 

IMAGEM: Patrícia Cruz/DC

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas