Horário ampliado puxa vendas do comércio paulistano

Na 1ª quinzena de julho, permissão de funcionar por seis horas diárias a partir do último dia 6 ajudou o movimento a subir 19%, em média, de acordo com o Balanço de Vendas da ACSP

Karina Lignelli
17/Jul/2020
  • btn-whatsapp

A flexibilização da capital paulista para a fase amarela do Plano São Paulo, no último dia 6, ajudou a puxar as vendas do comércio paulistano na primeira quinzena de julho.  

Com a liberação da abertura de academias e a ampliação do horário de funcionamento do comércio de rua e shoppings por duas horas a mais, ou seja, por seis horas diárias, o movimento médio aumentou 19% ante igual período de junho. Os dados são do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

LEIA MAIS:  Por que há bares e restaurantes que preferem não abrir as portas?

Pelo levantamento, as vendas a prazo tiveram alta de 23,1% Já o movimento de vendas à vista cresceu 14,9%, na mesma base de comparação.

Com a extensão do horário, gradativamente o consumidor têm voltado às compras, segundo Marcel Solimeo, economista da ACSP. Principalmente em alguns setores que têm se beneficiado da própria conjuntura e do trabalho remoto, como os de móveis, utensílios domésticos e tecnologia.

Na comparação anual, a recuperação das vendas do comércio ainda está muito distante: a queda média na primeira quinzena de julho, comparada a igual mês de 2019, ficou em 58,3%. No movimento de vendas a prazo, o recuo foi de 40,3%. Já as vendas à vista registraram um tombo ainda maior: 76,3%.

Com forte queda de 41,6% entre janeiro e maio (dados do SinditêxtilSP/ABIT), as vendas de vestuário também tiveram uma ligeira melhora na primeira quinzena, diz o economista.

Mas influenciaram o resultado ainda negativo das vendas do comércio na comparação anual. “Uma melhora significativa depende de mais gente circulando, olhando vitrines, já que compra por impulso é muito importante para o setor. Então, então ele é um dos que devem demorar a retomar”, conclui. 

O Balanço de Vendas é elaborado pelo Instituto de Economia da ACSP, com base em amostra fornecida pela Boa Vista Serviços.

FOTO: Karina Lignelli

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas