GPA transfere ponto de venda para dentro do celular do consumidor

Grupo testa novo modelo de pagamento sem filas, onde o cliente registra suas compras com o scanner disponível no próprio aplicativo

Redação DC
02/Mai/2019
  • btn-whatsapp
GPA transfere ponto de venda para dentro do celular do consumidor

O GPA está testando um modelo de pagamento sem filas, que permite ao consumidor realizar compras sem passar pelos caixas. No novo sistema, o cliente utiliza o próprio aparelho celular para escanear os códigos de barra dos produtos e efetuar o pagamento. Desde janeiro último, a rede Carrefour colocou em operação uma tecnologia semelhante, a Scan & Go.

Atualmente em projeto piloto, o modelo do GPA está disponível para colaboradores da sede da companhia, em São Paulo (SP), no aplicativo do programa de fidelidade da bandeira Pão de Açúcar, o Pão de Açúcar Mais.

LEIA MAIS: Restaurantes aderem a aplicativo de autoatendimento

Na versão do aplicativo já atualizada com a funcionalidade, o cliente utiliza o scanner de produtos disponível no próprio app para registrar suas compras. Para finalizar, somente na primeira transação, ele deve digitar o número do seu cartão de crédito ou fotografá-lo. Após o registro da forma de pagamento, a cobrança é feita sempre automaticamente, com um único clique.

O app gera, então, um QR Code, que deve ser apresentado nas catracas instaladas na saída da loja. Os recibos ficam disponíveis para consulta na função “Cupom Fiscal” do aplicativo, como já acontece com as demais compras feitas pelos Clientes Mais em lojas da rede Pão de Açúcar.

“Estamos transferindo o ponto de venda para dentro do celular de cada consumidor. Ao mesclar o digital e o físico, eliminamos filas e tornamos o processo de compra ainda mais personalizado e ágil”, explica Antonio Salvador, Diretor de Transformação Digital e E-commerce do GPA. 

FOTO: Divulgação

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas