Em visita à ACSP, relator da reforma do IR receberá manifesto contra a proposta

Documento é assinado por centenas de entidades do Comércio e de Serviços. O senador Angelo Coronel (foto), relator da matéria, tem criticado o texto da reforma

Redação DC
02/Dez/2021
  • btn-whatsapp
Em visita à ACSP, relator da reforma do IR receberá manifesto contra a proposta

Um manifesto contra a aprovação da reforma do Imposto de Renda, assinado por duzentas entidades do Comércio e de Serviços, será entregue nesta sexta-feira, 3/12, ao relator do texto, o senador Angelo Coronel.

O documento será entregue ao parlamentar por Alfredo Cotait Neto, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), durante visita do senador à entidade.

O texto que propõe a reforma no Imposto de Renda (PL 2337) foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora tramita no Senado, onde deve encontrar mais resistência. Coronel, relator da matéria, já disse que este ano o projeto não deve ser votado.

Em reunião realizada em outubro na ACSP, o senador chegou a dizer que o destino do PL 2337 é a lata do lixo. “Ao analisar o projeto, não podemos comungar com ele. O melhor destino é uma gaveta com cadeado e jogar a chave no mar. Ou então uma grande lata de lixo”, disse Coronel à época.

SOBRE A PROPOSTA DE REFORMA

A proposta de reforma do Imposto de Renda prevê, entre outros pontos, a volta da tributação sobre dividendos e o fim da dedução dos Juros sobre Capital Próprio. Essas são mudanças que, para especialistas, podem desorganizar a economia.

Para escapar de uma tributação de 15% sobre os dividendos, empresas podem recorrer ao velho artifício da distribuição disfarçada de lucro, cuja fiscalização é complicada.

Além disso, como o projeto isenta companhias que faturam até R$ 4,8 milhões da tributação dos dividendos, há o receio de que sua aprovação estimular cisões de empresas para manterem suas estruturas dentro dos limites de isenção.

O texto que está em análise pelo Senado também acaba com a dedução dos juros sobre o capital próprio (JCP). Para os especialistas no tema, isso pode aumentar o endividamento das empresas.

O JCP foi criado na década de 1990 para estimular investimentos por meio de aporte de capital. Até então, quem tomava recursos de terceiros – dos bancos, por exemplo -, podia deduzir juros, mas quem usava o próprio recurso, não. O JCP equilibrou essa situação, dizem.

 

IMAGEM: Gabriel Daniele/ACSP

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas