Em Paris, manifestantes voltam a protestar contra aumento de impostos

Os chamados coletes amarelos, que tomaram as ruas de Paris pelo terceiro fim de semana, acusam o presidente Macron de estar indiferente às dificuldades econômicas da população

Estadão Conteúdo
01/Dez/2018
  • btn-whatsapp
Em Paris, manifestantes voltam  a protestar contra aumento de impostos
Um protesto contra o aumento dos impostos sobre combustíveis e o alto custo de vida na França se transformou em um motim neste sábado em Paris.
 
Os manifestantes construíram barricadas no meio das ruas, atearam fogo e lançaram pedras contra os policiais, que, por sua vez, dispararam bombas de gás lacrimogêneo e usaram canhões d'água para tentar dispersar a multidão. O confronto deixou pelo menos 80 pessoas feridas, incluindo 16 policiais. Outras 183 pessoas foram presas.

Este é o terceiro fim de semana consecutivo de confrontos em Paris. A cena na capital francesa contrastou acentuadamente com os protestos de sábado em outras regiões francesas, onde manifestações e bloqueios de estradas eram em grande medida pacíficos. Autoridades francesas disseram ter contado 36 mil manifestantes em todo o país, incluindo 5,5 mil em Paris.

Os confrontos na capital francesa começaram no início de sábado perto do Arco do Triunfo e continuaram durante a tarde em várias ruas da área mais turística da cidade.
 
Grupos de manifestantes construíram barricadas improvisadas no meio das ruas, atearam fogo em carros e lixeiras, e picharam o monumento. Alguns manifestantes removeram as barreiras que protegiam o Túmulo do Soldado Desconhecido da Primeira Guerra Mundial, sob o monumento do Arco do Triunfo, para posar perto da chama eterna e cantar o hino nacional. 

A prefeita de Paris Anne Hidalgo declarou em sua conta no Twitter sua "indignação" e "profunda tristeza", dizendo que a violência "não é aceitável".
 
O primeiro-ministro francês Edouard Philippe afirmou que alguns manifestantes atacaram a polícia "com uma violência raramente vista", levando às prisões.

Em Buenos Aires, o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que os manifestantes violentos que atacaram policiais e picharam o Arco do Triunfo seriam denunciados e prometeu que eles serão "responsabilizados por seus atos".
 
Segundo ele, os protestos "não têm nada a ver com a expressão pacífica de uma raiva legítima". Para Macron, "nenhuma causa justifica" os ataques contra a polícia ou saques a lojas e edifícios em chamas.

O presidente francês disse que realizará uma reunião do governo de emergência neste domingo e cancelou sua ida a uma conferência sobre o clima na Polônia. 
 
 
 
FOTO: Reprodução/YouTube

 

 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas