Dólar supera a barreira dos R$ 4

A última vez em que a moeda americana ultrapassou esse patamar foi em 1º de outubro, quando o mercado ainda estava suscetível à incerteza de quem venceria o primeiro turno das eleições

Estadão Conteúdo
28/Mar/2019
  • btn-whatsapp
Dólar supera a barreira dos R$ 4

Depois do rali de quarta-feira, motivado sobretudo pela desconfiança do mercado sobre o futuro da reforma da Previdência, o dólar à vista iniciou esta quinta-feira, 28, superando os R$ 4 nos primeiros segundos de negociação. Desde outubro do ano passado, o real não se desvalorizava tanto.

Mas cerca de 20 minutos depois marcava mínimas ainda em alta. No mercado futuro, depois de abrir praticamente estável (-0,02%), o contrato para abril da moeda americana acelerou a alta, também superou os R$ 4, contudo, voltou a exibir sinal negativo e firmou-se em queda. 

A última vez em que o dólar superou esse patamar foi em 1º de outubro, quando o mercado ainda estava suscetível à incerteza de quem venceria o primeiro turno das eleições.

Na máxima do dia, o dólar à vista marcou R$ 4,0171, alta de 1,59%. Às 9h06, a moeda subia 1,03% aos R$ 3,9931.

A divisa dos EUA subia frente a maioria das moedas emergentes. O Dollar Index (DXY) subia 0,33% aos 97,096 pontos.

Após o dólar à vista ter subido mais de 2% ante o real na sessão de quarta-feira, o Banco Central convocou para esta quinta um leilão de linha (venda de dólares com compromisso de recompra) de US$ 1 bilhão.

Os recursos representam "dinheiro novo" no mercado, já que não estão vinculados à rolagem de nenhum vencimento. A operação é a primeira do tipo desde que o economista Roberto Campos Neto assumiu o BC.

Profissional da mesa de câmbio de um grande banco ouvido há pouco pelo Estadão/Broadcast lembrou que, em momentos de estresse, como os ocorridos em 2018 em função da campanha eleitoral, o BC de Ilan Goldfajn optou principalmente por operações de swap (operação que equivale a uma venda de moeda no mercado futuro).

Os leilões de linha também foram utilizados por Goldfajn em algumas ocasiões, como na greve dos caminhoneiros e na campanha eleitoral do ano passado, e também houve as tradicionais operações no fim do ano, para suprir liquidez (falta de dólares) a empresas e fundos.

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas