Finanças

Em dia de tensão, dólar fecha a R$ 3,95 e Bolsa cai 3,57%


Volatilidade ocorre um dia após a aprovação da PEC do orçamento. Mercado financeiro também reagiu à declaração do ministro Paulo Guedes sobre uma possível falta de apoio à sua agenda


  Por Agência Brasil 27 de Março de 2019 às 18:46

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


Em um dia marcado por fortes tensões no mercado financeiro, o dólar fechou no maior valor em quase seis meses e a bolsa de valores teve forte queda. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (27/03), vendido a R$ 3,954, com alta de R$ 0,088 (+2,27%). A divisa está no valor mais alto desde 1º de outubro, quando tinha fechado em R$ 4,02.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia com queda de 3,57%, aos 91.403 pontos. O índice teve a maior queda diária desde 6 de fevereiro (-3,74%) e fechou no menor nível desde 7 de janeiro.

A volatilidade no mercado financeiro ocorre no dia seguinte à aprovação, pela Câmara dos Deputados, da proposta de emenda à Constituição (PEC) que introduz o orçamento impositivo para as emendas de bancadas estaduais. A proposta, que seguiu para o Senado, aumenta a rigidez do Orçamento, reduzindo a margem de manobra do governo para segurar os gastos públicos.

Nas horas finais de negociação, o mercado financeiro reagiu à declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que não sai do governo depois da primeira derrota, mas que deixaria o cargo caso sua agenda não tenha apoio do presidente da República nem do Congresso.

O Ibovespa, que estava se recuperando e tinha atingido os 93 mil pontos por volta das 14h30, ampliou a queda e retornou aos 91 mil pontos depois do início da audiência de Guedes na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. 

FOTO: Thinkstock