Consumidores trocam linha branca pelos aparelhos portáteis

Crescimento de venda dos portáveis atrai novas empresas para o segmento, como a Semp Toshiba

Estadão Conteúdo
23/Mai/2015
  • btn-whatsapp
Consumidores trocam linha branca pelos aparelhos portáteis

O forte desempenho dos eletroportáteis no Brasil vem despertando o interesse de tradicionais fabricantes de aparelhos de imagem e som e de eletrodomésticos da linha branca (fogão, geladeira e lavadora) pelo segmento. As vendas de aparelhos como cafeteira e ferro de passar, de baixo valor unitário, somaram R$ 14,3 bilhões e cresceram 14,5% em relação a 2013, nas contas da empresa de pesquisa Euromonitor International. Representa mais que o dobro da taxa alcançada pela linha branca no mesmo período (7%). 

A Semp Toshiba, mais antiga fabricante de televisão do País, se prepara para diversificar seu portfólio de produtos, concentrado em 80% na venda de televisores e o restante em itens de informática e de aparelhos de som. Em agosto, colocará no mercado 50 produtos, todos importados da Ásia, com a marca Semp. São fritadeiras a ar digitais, cafeteiras, liquidificadores, fornos elétricos, ferros de passar sem fio, panelas de arroz, torradeiras e até um aspirador de pó robotizado, que limpa a casa sozinho.

ECONOMIA E STATUS

De acordo com Alexis Frick, analista de pesquisa da Euromonitor, uma soma de fatores explica o desempenho de mercado dos eletroportáteis. O primeiro deles é o fato de o preço médio dos portáteis ser muito inferior ao de um eletrodoméstico de grande porte. Isso acelera as vendas desses produtos, especialmente num cenário de crise como o atual.

Outro fator é o grande número de consumidores que já conseguiu adquirir geladeira, fogão e TV, produtos de vida útil longa, em comparação com os que têm cafeteira ou fritadeira. Nos últimos anos, segundo o analista, com a redução do Imposto de Produtos Industrializados (IPI) da linha branca, houve um estímulo extra à compra desses eletrodomésticos básicos.

Outro fator apontado por Frick é a praticidade e o status proporcionados pelos aparelhos pequenos. "A cozinha virou um espaço importante na casa para receber as visitas e se o consumidor não tem condições de comprar um geladeira, pode impressionar com uma cafeteira", diz.

Pesquisa da Euromonitor mostra a preferência atual do consumidor por dois aparelhos. As vendas de máquinas de café cresceram 30,5% entre 2013 e 2014. No mesmo período, as fritadeiras a ar registraram um aumento de 29,2%. Enquanto o consumo de fritadeiras e cafeteiras explode, as vendas de TVs têm crescimento bem menor. Aumentaram 11,7% de 2012 para 2013 e devem encolher 3% até 2018.

A MIGRAÇÃO DA SEMP TOSHIBA 

Este cenário está por trás da decisão da Semp Toshiba de diminuir a dependência dos televisores e diversificar o portfólio. "Nossa visão de longo prazo é tirar o peso relativo que a TV tem hoje no faturamento da empresa e, em quatro anos, reduzir essa participação para 50%", afirma o presidente da companhia, Ricardo Freitas. O faturamento da empresa atingiu R$ 1,2 bilhão no ano passado.  

Dados da Eletros, que reúne fabricantes do setor, mostram que a venda de TVs caiu 40% no 1º trimestre de 2015 ante 2014. Entre os portáteis a retração foi bem menor. O executivo da Semp aponta que, no segmento de portáteis, existe uma competição mais saudável, mais opções de fornecedores e possibilidade de ajuste mais rápido em momentos de volatilidade de mercado.

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas