CMEC nomeia conselheiras com atuação em nível nacional

Nova fase do conselho que fomenta o empreendedorismo feminino em todo o Brasil envolve projetos em parceria com o Sebrae e o Bradesco

Redação DC
09/Jun/2022
  • btn-whatsapp
CMEC nomeia conselheiras com atuação em nível nacional

Quarenta e seis empresárias de relevância nacional, especialistas nos mais diversos ramos de atuação, foram empossadas nesta quinta-feira, 9/06, para atuar na diretoria do Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC). A cerimônia foi realizada no Salão Nobre da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).  

As novas conselheiras técnicas e consultivas começam a atuar no CMEC já com duas parcerias relevantes encaminhadas. A primeira é o programa "Desenvolve Mulher Empreendedora", em parceria com o Sebrae, que deve destinar cerca de R$ 9 milhões em ações para fomentar o empreendedorismo feminino. 

A segunda, em processo de formatação, será uma linha de crédito com condições especiais para empreendedoras em parceria com o Bradesco, que deve ser nomeada "CMEC Bradesco." 

O conselho, originalmente criado no âmbito da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), ganhou recentemente dimensão nacional, levando sua estrutura para a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB).

Ele é presidido desde 2019 por Ana Cláudia Badra Cotait, e tem em suas fileiras Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora (RME), Cristiana Arcangeli, empresária e investidora do programa Shark Tank Brasil, e Janete Vaz, sócia-fundadora e proprietária do Grupo Sabin, entre outras empresárias. 

A iniciativa, segundo Ana Cláudia, é focar em capacitação, qualificação, políticas públicas e até melhora da autoestima para desenvolver um ambiente propício ao empreendedorismo feminino em todas as regiões do Brasil - inclusive com o recém-criado CMEC Agro.  

Segundo a presidente do CMEC, sem autoestima as mulheres não empreendem e, hoje, após três anos à frente do projeto, afirmou sentir-se orgulhosa desse trabalho em parceria com outras lideranças femininas relevantes. "Me apaixonei pelo associativismo e descobri que vivo para ajudar as mulheres a serem empreendedoras", disse. E citou Clarice Lispector para resumir esse projeto: "liberdade é pouco. O que desejo, não tem nome." 

OUTRA DIMENSÃO

A transformação e a ampliação do alcance do CMEC em nível nacional foram destacados por Alfredo Cotait Neto, presidente da CACB, da Facesp e da ACSP. Marido de Ana Cláudia, Cotait afirmou que não imaginava que três anos após o início de sua gestão essa rede de mulheres empreendedoras estivesse atuante pelo Brasil inteiro.

“Da minha parte, preciso agradecer a parceria com a Ana, pois foi ela quem turbinou o CMEC”, afirmou. “Porque uma coisa é ter a ideia, outra é operacionalizar. E isso ela conseguiu.”

A dimensão desse processo, segundo Cotait, tem ajudado muitas mulheres a lidarem com grandes desafios - como fazer as pessoas entenderem a importância do empreendedorismo feminino por meio de sua participação no dia a dia das associações comerciais.

Em sua avaliação, hoje elas ocupam o lugar adequado não só para desenvolverem seu trabalho, mas ter e dar ideias, realizar sonhos, se desenvolverem e se comunicarem entre si em todos os cantos do país. "A razão de estarmos aqui é a reconstrução do nosso país. Mas vocês vão ter que nos ajudar, pois são fundamentais nesse processo de construção do futuro do país”, disse Cotait. 

Vice-presidente do CMEC Nacional, a senadora Ivani Boscolo (PSD-SP), destacou a representatividade do Conselho. “São muitos projetos que vamos desenvolver. De mãos dadas, com certeza faremos com que essa gestão seja muito profícua.”

Ana Fontes, da RME, que já foi considerada "Empreendedora do ano" pelas revistas Forbes e IstoÉ Dinheiro, e será a nova diretora de estatística e projetos do CMEC, disse que, quando se caminha junto para um mesmo objetivo, a chance de conseguir chegar é muito maior. "Por isso, mais do que tudo, vamos caminhar para empurrar políticas públicas para essas mulheres - o que é fundamental para virarmos o jogo.”

Em vídeo, Luiza Trajano, criadora do grupo Mulheres do Brasil, desejou sucesso ao CMEC e disse que “juntas, vamos cada vez mais desenvolver o emprego no Brasil”. 

Janete Vaz, do Sabin, destacou a honra de compor a diretoria do CMEC. “Vamos contribuir para fortalecer a rede de mulheres das associações comerciais em todo o Brasil.” 

ANA CLÁUDIA: POR MAIS EMPODERAMENTO ÀS EMPREENDEDORAS

 

A vereadora de São Paulo Edir Sales (PSD) disse nunca ter visto um movimento como este, mesmo em longos anos de vida pública. “Saio daqui muito animada para atuar com vocês no fortalecimento da rede de mulheres empreendedoras”.

Para a secretária municipal de Cultura de São Paulo, Aline Torres, o CMEC está repleto de sementes de transformação que vão gerar grandes progressos para o Brasil e fazer com que “mais mulheres ocupem cada vez mais espaços de poder”. 

PARCERIA COM O SEBRAE

Carlos Melles, presidente do Sebrae, explicou que o projeto “Desenvolve Mulher Empreendedora” será executado em 30 meses, levando capacitações e consultorias em áreas como articulação, governança, fortalecimento de redes, desenvolvimento de competências técnicas e socioemocionais e crédito, entre outros. “Ou seja: vai empoderar as mulheres para fazerem o que fazem muito bem: empreender.”

Com investimento de R$ 9 milhões, a proposta é atender mais de 1.700 micro e pequenos empreendimentos liderados por mulheres, lideranças empresariais femininas e mulheres que tenham interesse em empreender, espalhadas por todas as regiões do país. 

Participaram da cerimônia o 1º vice-presidente da Facesp, Roberto Mateus Ordine, e o superintendente da CACB, Carlos Rezende e o diretor técnico do Sebrae Bruno Quick. Ao final da reunião, a nova diretoria do CMEC realizou sua primeira reunião ordinária.

Confira a nova diretoria:

 

FOTOS: Gabriel Daniele

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

Rodrigo Garcia defende tributação no destino para por fim à guerra fiscal

Rodrigo Garcia defende tributação no destino para por fim à guerra fiscal

Haddad pretende acelerar devolução de créditos do ICMS às empresas

Ciro propõe pacto de cooperação entre governo e empresários

Colunistas