Cai endividamento e cresce a capacidade de poupar do consumidor

Em média, 13% dos consumidores classificaram-se como muito endividados. Para 49% o poder de compra diminuiu em relação ao ano passado

Redação DC
09/Abr/2018
  • btn-whatsapp
Cai endividamento e cresce a capacidade de poupar do consumidor

O grau de endividamento do consumidor caiu 7p.p. (pontos percentuais) nos primeiros meses de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado,  de acordo com a pesquisa da Boa Vista SCPC sobre endividamento, poder de compra e capacidade de pagamento do consumidor. 

Realizada entre os dias 30 de janeiro e 28 de fevereiro, com mais de 800 pessoas, em todo o Brasil, a pesquisa eletrônica constatou que em média 13% dos consumidores consideram-se muito endividados.

No ano passado, este percentual foi de 20%. Já 26% afirmaram estar mais ou menos endividados. 42% um pouco endividados e 19% alegaram não ter dívidas. Um aumento de 8p.p. em relação a 2017. 

 Sobre a percepção do poder de compra, houve um aumento do percentual dos consumidores que têm comprado mais. Em 2017, 11% tinham esta percepção, e agora são 19%. Por outro lado, caiu de 65% para 49% os que afirmam estar comprando menos em 2018, na comparação com o ano passado.

Para os que estão conseguindo manter o poder de compra, de um modo geral, prevalece a busca por qualidade ao realizarem a compra dos diversos itens da casa, em detrimento da promoção ou da marca.

A Boa Vista também identificou a capacidade de poupar dos brasileiros. Passou de 23% para 33% aqueles que afirmaram estar conseguindo poupar nos últimos seis anos. Já sete em cada dez informaram que não têm conseguido economizar. Por usa vez, a poupança (60%) é o investimento mais usado, seguida de previdência privada (13%) e fundos, ações, CDB e outras modalidades (31%).

A pesquisa também investigou a suficiência da renda familiar no pagamento dos gastos fixos da casa (como conta de água, luz, telefone, TV paga, conta do celular), no fim do mês. A dificuldade em pagar estes gastos atinge cerca de 50% dos consumidores.

Já 62% dos entrevistados se consideram um consumidor “equilibrado”. Aquele que compra o necessário, mas que, às vezes, excede os gastos. 27% definiram-se “conservadores”, que compram o mínimo possível e somente quando precisam, e 11% “consumistas”, que compram além do necessário.

FOTO: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas