Alfredo Cotait Neto é o novo presidente da CACB

Atualmente no comando da ACSP e da Facesp, Cotait (dir. na foto) assume o posto ocupado por George Pinheiro (esq.) com o objetivo de fortalecer a rede de associações comerciais de todo o país

Karina Lignelli
30/Nov/2021
  • btn-whatsapp
Alfredo Cotait Neto é o novo presidente da CACB

O empresário e engenheiro civil Alfredo Cotait Neto assumiu nesta terça-feira, 30/11, a presidência da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) para o triênio 2022-2024.

Candidato eleito pelo Conselho Deliberativo da CACB, atualmente Cotait preside a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).   

No comando da ACSP desde 2019 e reeleito em 2021 para mais dois anos de gestão, Cotait tem como marca o lançamento de produtos e serviços voltados à capacitação de empresários de todos os portes - especialmente para os micro e pequenos empreendedores. 

Em 2020, a ACSP lançou a Faculdade do Comércio (FAC) e inaugurou a plataforma com cursos profissionalizantes Profis Online. Desburocratizou a oferta de crédito com o ACCrédito e auxiliou micros e pequenos negócios a darem os primeiros passos no e-commerce com o marketplace Vitrine ACSP. 

À frente da Facesp, Cotait tem priorizado a integração e o fortalecimento da rede de associações comerciais. Também tem promovido ações voltadas ao empreendedorismo feminino por meio do Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC), assim como as voltadas à formação de jovens empresários.

LEIA MAIS:  ACSP e Facesp se unem a pacto nacional para enfrentamento da pandemia

A integração da rede de associações comerciais, agora em âmbito nacional, também será prioridade da gestão Cotait à frente da CACB, afirma o dirigente. "Quando se junta tudo isso, essa somatória de federações, estamos credenciando e fortalecendo uma grande rede voltada ao desenvolvimento econômico do país."

O novo presidente assume a Confederação das mãos de George Pinheiro, que presidirá o Conselho Deliberativo da CACB. "Cotait faz um trabalho brilhante na Facesp, em São Paulo. Não há dúvidas de que a nova gestão da CACB será de grandes conquistas para os empresários brasileiros.”  

Cotait também preside o Conselho de Administração da Boa Vista S/A, é primeiro-suplente da senadora Mara Gabrilli, eleita em 2018, e foi senador por São Paulo após o falecimento do titular Romeu Tuma. 

Atuou no setor público como secretário de Relações Internacionais e Planejamento da cidade de São Paulo, e presidiu a Comissão Normativa de Legislação Urbanística e a Comissão Municipal de Emprego. Na iniciativa privada, liderou empreendimentos em construção civil, mercado de capitais, financeiro, hoteleiro e hospitalar.

A seguir, confira entrevista do novo presidente da CACB ao Diário do Comércio:   


Na Facesp, o senhor trabalhou a integração e o fortalecimento da rede de associações comerciais paulistas. Diante da abrangência da CACB, sua gestão também seguirá nesse sentido? 

É importante entender que a Facesp é uma rede das associações do Estado, mas a CACB pode se transformar em uma rede nacional usando as federações. O grande projeto é fortalecer e organizar essa rede para dar sustentação ao sistema. Aí entra a importância de cada associação comercial, pois são a base desse sistema.

É na associação comercial que se forja a concepção do que é ser empreendedor, onde se discutem questões relevantes do município. Tanto que, geralmente, nas Secretarias de Desenvolvimento Econômico, quem comanda é alguém que veio de alguma associação comercial. Isso quando não é o próprio prefeito.

Além de serem um ativo, um bem da cidade, as associações comerciais são entidades de importância municipal, e cabe a elas ajudarem no desenvolvimento econômico local. Mas quando se junta tudo isso, essa somatória de federações, credenciamos uma grande rede voltada ao desenvolvimento econômico do país. 

E é com essa grande visão que nós temos do sistema que vamos assumir, trabalhando com o intuito de fortalecer a rede de associações comerciais em caráter nacional. 


Quais as principais ações voltadas ao empreendedor sua gestão irá trabalhar? 

A princípio vamos conhecer e entender o funcionamento da Confederação para estabelecer diretrizes. Mas olhando a posição da CACB em prol da livre iniciativa, vamos dar andamento a tudo o que ajude no crescimento econômico e no desenvolvimento do empreendedorismo. 

A ideia é examinar o que já está sendo avaliado para tomarmos alguma decisão, pois certamente a CACB já está fazendo esse trabalho. Não assumi a Confederação para descontinuar o trabalho, mas para dar continuidade ao que está sendo feito e tentar, se for possível, fazer melhorias necessárias. Mas sempre dentro desse raciocínio de incentivar a livre iniciativa e o empreendedorismo. 


O senhor foi reeleito para gerir a ACSP e a Facesp com a vacinação incipiente e incertezas na economia. No atual cenário, quais as suas expectativas ao assumir a CACB? 

A expectativa de crescimento econômico no pós-pandemia está muito aquém do que nós esperávamos. As autoridades não compreenderam que crescimento econômico, considerando o PIB, não representa necessariamente um crescimento da base da economia. 

O que eu quero dizer é que, na verdade, as micro e pequenas empresas sofreram muito na pandemia, e não foram oferecidos a elas estímulos e muito menos condições para poderem retomar seus negócios, e vão sobrevivendo com muita dificuldade enquanto não houver alguma compensação.

CONSELHO DELIBERATIVO DA CACB: REUNIDOS NESTA TERÇA-FEIRA (30) PARA ELEGER O NOVO PRESIDENTE

É fundamental fazer uma política direcionada à micro e à pequena empresa, ou então o crescimento econômico do país ficará sempre aquém do desejado. Elas são as grandes geradoras de emprego e renda, mas cada vez mais assistimos a uma concentração absurda de renda, com a desigualdade crescendo muito. 

E o que tem sido feito para equilibrar ou diminuir essa situação? A CACB já está trabalhando isso, mas continuaremos alinhando um discurso em todas as esferas em prol das micro e pequenas empresas para que elas sejam assistidas pelo Estado e novamente terem condições de crescer, se desenvolver e gerar empregos. 

Pensando nisso, dá para dizer que esse deve ser o foco da CACB daqui em diante?  

Isso. Muitos pequenos negócios fecharam na pandemia por não terem condições de continuar a vender ou prestar serviços. Quando a economia ficou fechada, elas não faturaram e não conseguiram dar continuidade aos negócios. A perda dessas empresas não foi recuperada, e levará muito tempo para isso acontecer. 

Outras muitas faliram, e isso não está no radar das autoridades porque esse ano a economia vai crescer independentemente da necessidade do pequeno negócio crescer e se desenvolver. A CACB já vem fazendo de tudo para dar apoio à micro e pequena empresa, e agora vamos dar ainda mais ênfase a esse apoio. 

Quais as expectativas para quem é empreendedor em 2022? 

A expectativa é de um cenário realista, não é favorável. Um ambiente favorável de desenvolvimento dos negócios e crescimento econômico não é o que vamos encontrar no ano que vem, e as pequenas empresas precisarão ter uma gestão muito eficiente para poderem continuar no mercado. 

O mercado em si mudou, é preciso fazer uma readaptação, que envolve custos. As empresas estão descapitalizadas, as taxas de juros estão aumentando, os produtos estão caros, escassos... as dificuldades são muitas, e não dá para esperar um período de bonança no curto ou médio prazo, pois está bastante difícil. 

Mas, independente disso, costumo dizer que sou otimista, e nós, como representantes dos empreendedores, faremos o máximo dentro dessas dificuldades que se apresentam para ajudá-los a se recuperarem. 

FOTOS: Cleber Lazo/Facesp

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas