ACSP debate associativismo como instrumento de liderança

No último sábado (05/08), dirigentes da entidade e empresários da entidade se reuniram para discutir como é possível vencer os desafios comuns do setor

Mariana Missiaggia
06/Ago/2017
  • btn-whatsapp
ACSP debate associativismo como instrumento de liderança

Com o objetivo de estimular as lideranças empresariais e desenvolver a atividade econômica da cidade de São Paulo, representantes da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) se reuniram no último sábado (05/08), em São Paulo, para o 12º seminário das sedes distritais da entidade.

O encontro foi aberto por Alencar Burti, presidente da ACSP e da Facesp [ao centro, na foto], ladeado pelos vice-presidente João Bico (à esq.) e Giacomo Cataldi.

Durante o evento, Marcel Solimeo, economista-chefe da entidade, resgatou a origem do associativismo, e citou uma das primeiras conquistas da ACSP, em 1895. Na época, a instalação de uma alfândega seca na cidade de São Paulo, que era uma antiga aspiração dos comerciantes paulistas, se deu por intermédio da entidade.

Até então, a burocracia exigia que os empresários fossem até Santos para assinarem a documentação que liberaria as mercadorias importadas.

"Temos que resgatar essa consciência de que fazemos parte de uma história", disse Solimeo. "Superar contextos e fortalecer a atuação do varejo no País depende de um empresariado unido"

SOLIMEO: RESGATANDO UMA HISTÓRIA DE CONQUISTAS ASSOCIATIVAS

Reinaldo Passadori, especialista em comunicação, esteve presente no evento para apresentar a palestra “Quem não comunica, não lidera” e discorreu sobre o importância do associativismo como instrumento de liderança.

Para Passadori, o associativismo é um dos caminhos mais eficientes para buscar a superação de dificuldades e a obtenção de benefícios comuns.

PASSADORI: A IMPORTÂNCIA DE FORJAR LÍDERES

Na opinião do especialista, isso fica ainda mais evidente em tempos de crise e também defende que tanto a população quanto as organizações se tornam mais fortes à medida que compartilham sonhos e interesses.

"As grandes mudanças que ocorreram no mundo surgiram de grandes mobilizações, que definiram estratégias e atuaram coletivamente para alcançá-las", diz.

"O atalho para a competitividade está na capacidade de o empresariado fazer a sua visão ser considerada pelo governo e pela sociedade. E a intensidade disso está diretamente ligada à integração entre as empresas e suas entidades de representação".

PAPEL DAS DISTRITAIS

No caso da ACSP, Giacinto Cosimo Cataldo, vice-presidente da entidade e coordenador das Sedes Distritais, explica que as 15 distritais espalhadas pela capital, criam espaço para o debate e fortalecimento dos negócios, facilitando o empreendedorismo, com ações locais.

Além disso, assim como a ACSP, essas sedes trabalham com a missão de mudar a estrutura tributária do País, desburocratizar processos, formalizar negócios, protagonizar transformações, e especialmente, trabalhar em parceria com as subprefeituras para atualizar a infraestrutura de vários pontos da cidade.

Roberto Mateus Ordine, vice-presidente da entidade, traçou um histórico do Diário do Comércio, que completou 93 anos em julho passado e sua evolução para as plataformas digitais.

ORDINE:TRADIÇÃO E INOVAÇÃO NO DC

O jornalista Nelson Blecher, superintendente editorial, exibiu aos presentes o novo design do jornal e as seções que marcarão a próxima fase da publicação, que, segundo afirmou, tornarão a leitura mais atraente, além de proporcionar uma visão completa da riqueza editorial nas áreas de economia e administração.

NOVOS NEGÓCIOS

João Bico de Souza, vice-presidente da ACSP e coordenador do Comitê de Novos Negócio da entidade, também falou sobre o que está sendo feito para a descoberta e prospecção de novas propostas de negócios  e serviços prestados pela entidade  para fortalecer o empreendedorismo.

CBMAE - Há quase um ano, a ACSP oferece o serviço de solucionar conflitos entre empresas e seus fornecedores ou clientes, por meio da Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial (CBMAE).

O índice de acordo chega a 80% e leva em média 40 dias para ser finalizado - muito rápido se comparado aos anos que se leva na justiça comum, de acordo com Souza. 

Portal de Licitações - Pensando em dar subsídio para as empresas associadas, a ACSP está criando um novo departamento que orientará os empresários sobre como participar de um processo de licitação, solucionando dúvidas e divulgando oportunidades. 

"Muitos poderiam fazer bons negócios com licitação e não sabem".   

Cooperativa de Crédito - Outro projeto da ACSP é criar uma nova alternativa de crédito para os empresários, a partir de uma espécie de cooperativa.

O vice-presidente diz que a intenção é oferecer todos os serviços que já existem na rede bancária tradicional, porém, com taxas de juros inferiores ao que é cobrado no mercado.  

"Estamos nas mãos dos bancos. É um absurdo pagarmos 15% de juros de conta garantida ao mês", diz. 

FOTOS: Daniel Gomes Aguilar/DDS Mult-Visão

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas