Acorda Presidente!

Não se pode governar contra as forças vivas da nacionalidade, que são os mais cultos, empreendedores, educados, responsáveis e atores políticos

Aristóteles Drummond
29/Out/2021
  • btn-whatsapp

Os dias posteriores a crise Bolsonaro x Alexandre de Moraes revelaram o presidente dos sonhos dos brasileiros responsáveis. Foi claro em condenar golpe, garantiu que vai respeitar a eleição, elogiou o TSE e as medidas do ministro Luís Roberto Barroso de formar um conselho de acompanhamento, condenou o controle de preços de energia, prestigiou o ministro Paulo Guedes. Admitiu que andou se excedendo, o que seus seguidores insistem em exaltar.

Não se pode governar contra as forças vivas da nacionalidade, que são os mais cultos, empreendedores, educados, responsáveis e atores políticos. Tem de entender que por culpa das elites que, em vez de preservarem a democracia e o regime de liberdade econômica, permitiram o avanço de teses inconsequentes em segmentos relevantes da sociedade. Sempre houve uma influência marxista nos meios de comunicação, aqui e no resto do mundo, mas com um mínimo de contraditório, como ocorre em outras nações. Aqui, deixou-se levar a uma quase hegemonia a partir da intolerância do Presidente.

As crises social e econômica avançam, pelo desestímulo ao investimento e à poupança, agravado pelo ambiente político tenso. Entre os que podem, é visível a fuga de capitais e até mesmo de domicílio fiscal, segundo dados oficiais.

Carecemos de capital e de poupança interna. Mas, até aqui, nada é feito para estimular a geração de empregos pelo investimento produtivo. Nossa economia tem mostrado vitalidade, mas ainda observa bem antes de expandir sua capacidade e investir em novas tecnologias para gerar competitividade internacional. A desconfiança é uma realidade, com reflexos nos mercados.

Temos de promover uma união pelo progresso, pela modernidade e respeitar a maioria que, em 2018, votou pelo liberalismo, pela segurança pública, pelo fim da impunidade. E o Presidente colaborar.

O presidente, bem-intencionado, por pura insegurança, não se aproxima de pessoas de um nível intelectual e social superior ao seu, quando só sairia ganhando ouvindo quem tem algo a oferecer. Como o conselheiro que o orientou na referida entrevista, e na elogiável disposição de recuar nos insultos e falta de respeito a altos magistrados. E quanto aos comentários desnecessários, como os que continua fazendo sem necessidade, é de se lamentar pela recorrência.

Ele é o presidente e deve agir e se comportar como tal. O Brasil tem pressa de progredir com segurança e ele deveria ter pressa em reconquistar o que perdeu por não saber se calar. Não percebeu que a cada dia se distancia mais do sonho da reeleição. Gerando o fantasma de um retrocesso que a volta do passado pode representar.

Para agradar suas bases, bastaria que mostrasse autoridade e mandasse o Colégio Pedro II devolver ao prédio de sua Reitoria, no Rio, o nome do ilustre ex-aluno Almirante Augusto Rademaker, que foi ministro da Marinha e vice-presidente da República, arrancado no governo Dilma. Pedir a sua bancada a votação da segunda instancia e ao Judiciário celeridade nos processos da lava Jato em geral. São recados mais elegantes.

Apoiar ou estimular a verborragia inconsequente não deveria ser postura de aliados. Mas, tem sido, nem que seja pela omissão de seus mais próximos como o Ministro Paulo Guedes.

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas