A receita do Burger King para acelerar sua expansão no Brasil

Com 717 restaurantes no País, a rede planeja espalhar quiosques de sobremesa -o filão mais rentável do fast food -e ampliar o número de lojas de rua

Estadão Conteúdo
16/Ago/2018
  • btn-whatsapp
A receita do Burger King para acelerar sua expansão no Brasil

A rede de fast-food americana Burger King, depois de abrir cerca de cem restaurantes por ano desde que o grupo 3G, do empresário e sócio Jorge Paulo Lemann, assumiu o comando global da companhia, em 2011, pretende manter o ritmo em 2018, mas com um foco diferente.

Após aproveitar a onda de aberturas de shopping centers dos últimos anos para se estabelecer em centros comerciais, a estratégia agora é investir em duas frentes ainda pouco cobertas: a de grandes restaurantes de rua e a de quiosques de sobremesa.

Quando o 3G assumiu a companhia, a operação brasileira patinava havia anos, pois enfrentava dificuldade para montar um grupo de franqueados capaz de torná-la relevante. Na época, eram 93 unidades. Hoje, a rede cresceu para um total de 717 restaurantes.

O salto dos últimos sete anos se deu graças à decisão de fazer a expansão com unidades próprias. Isso só foi possível graças à capacidade de investimento dos acionistas da operação local, grupo que inclui ainda os fundos Vinci e Temasek.

No fim de 2017, o Burger King arrecadou R$ 2,2 bilhões em sua abertura de capital na Bolsa paulista, o que garantiu fôlego para a expansão que está por vir.

QUIOSQUE DE SOBREMESA: EXPANSÃO

O salto dos últimos anos levou o Burger King à segunda posição consolidada no mercado de fast-food do País, de acordo com Sérgio Molinari, sócio da consultoria Food Consulting.

"A competição entre Burger King e McDonald´s passou a ser a grande disputa do mercado", diz o especialista.

No entanto, apesar de o Burger King ter passado a líder em total de unidades próprias - são 593, contra 591 -, o domínio do McDonald´s no País ainda é bem mais forte. São 969 restaurantes e mais 1,1 quiosques de sobremesas, o que leva o total de pontos de venda a mais de 2 mil.

LEIA MAIS: 5 dicas do McDonald´s para expandir sua marca mundo afora

É justamente essa diferença em sobremesas e shakes - justamente os itens que oferecem a maior margem do setor de fast-food -que o Burger King começará a endereçar agora, de acordo com Ariel Grunkraut, vice-presidente de marketing da rede. O Burger King tem hoje somente cerca de 200 quiosques em operação.

GUNKRAUT: GANHAR NOS COMBOS INFANTIS

Outro investimento que a empresa está fazendo é na plataforma para crianças - um dos primeiros passos nesse sentido foi uma campanha de distribuição de pelúcias em forma de emojis nas unidades.

Grunkraut diz que o Burger King já conseguiu avançar entre os jovens, mas ainda tem espaço a ganhar nos "combos" infantis. "Somos mais fortes entre o público jovem. Mas queremos mostrar que todo mundo é bem-vindo", diz.

Segundo o executivo, a expansão do Burger King em lojas abertas há mais de um ano está acima de 10% desde o início de 2016, resultado superior ao de sua principal concorrente.

No entanto, Molinari, da Food Consulting, lembra que a comparação não leva em conta que a operação do McDonald´s, que está no País há 40 anos, é mais madura - ou seja, as unidades partem de níveis de receita mais fortes em anos anteriores.

Para o consultor, tanto Burger King quanto McDonald´s tiveram desempenho positivo durante a crise. A primeira, graças à capacidade de investimento, conseguiu ampliar sua presença em todo o País.

Já a segunda protegeu sua posição de liderança apesar da chegada de um concorrente de peso. "Ambas perceberam que o ciclo de novidades, de promoções e produtos, precisa ser mais rápido do que antes. E ambas estão estabelecidas, cada uma com sua identidade."

FOTOS: Divulgação

 

 

Matérias relacionadas

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas