Negócios

Vendas no comércio paulistano crescem 3% na primeira quinzena


Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) evidencia igual patamar de vendas dos últimos meses, indicando que o varejo ainda não deslanchou


  Por Redação DC 17 de Outubro de 2018 às 10:10

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Na primeira quinzena de outubro - período que antecedeu o Dia das Crianças - o movimento de vendas do comércio varejista da capital paulista cresceu em média 3% sobre o mesmo período do ano passado, segundo o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

“Apesar de positivo, o resultado mantém o patamar de vendas dos últimos meses; e se trata da mesma taxa de crescimento do Dia das Crianças de 2017. Isso indica que, por enquanto, o varejo não deslanchou, provavelmente em função das incertezas no cenário eleitoral, deixando o consumidor inseguro e em compasso de espera. Passado o segundo turno das eleições, pode ser que as pessoas passem a comprar mais, inclusive se o dólar cair”, afirma Emílio Alfieri, economista da ACSP.

Ele lembra que o dia útil a mais na quinzena deste ano contribuiu para a elevação das vendas.

As vendas a prazo subiram 8,6% enquanto as vendas à vista recuaram 2,6%. Segundo Alfieri, essa diferença entre os dois sistemas pode significar que o consumidor preferiu parcelar o presente do Dia das Crianças (não só eletrônicos, mas também brinquedos e vestuário) por não ter sobra no orçamento, diante de aumentos de tarifas públicas”.

Ele acrescenta que a modalidade a prazo foi beneficiada pelos juros menores e prazos maiores no contraste com o ano passado.

SAZONALIDADE

Em relação aos primeiros 15 dias de setembro, as vendas cresceram em média 18,4% na primeira quinzena de outubro, sendo que os aumentos foram de 11,2% no sistema a prazo e 25,5% à vista.

O economista da ACSP explica que se trata de um desempenho sazonal, já que o período de setembro não conta com data comercial e o período de outubro é beneficiado pelo Dia das Crianças, o que gera uma base de comparação fraca.

O Balanço de Vendas é elaborado pelo Instituto de Economia da ACSP com base em amostra fornecida pela Boa Vista Serviços.