Negócios

Venda de veículos novos aumenta em outubro


Foram 202,9 mil unidades em outubro, uma alta de 27,6% em comparação com igual mês do ano passado, de acordo com a Anfavea


  Por Estadão Conteúdo 08 de Novembro de 2017 às 13:11

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A venda de veículos novos no Brasil alcançou 202,9 mil unidades em outubro, alta de 27,6% em comparação com igual mês do ano passado e crescimento de 1,8% sobre o resultado de setembro, que teve um dia útil a menos, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

No acumulado do ano, o mercado cresceu 9,3% em relação a igual período do ano anterior.

Por segmento, as vendas de automóveis e comerciais leves, juntos, somaram 196,9 mil vendas em outubro -  expansão de 27,1% em relação a igual mês de 2016 e de 1,6% ante o volume do mês anterior.

Os emplacamentos destes dois segmentos acumulam, de janeiro a outubro, aumento de 9,7% sobre igual intervalo do ano passado, para 1,7 milhão de unidades.

Entre os pesados, foram 5 mil caminhões vendidos no décimo mês do ano, alta de 46% ante igual mês do ano passado e avanço de 10,8% sobre o resultado de setembro.

No acumulado do ano, o segmento acumula retração de 4,5%, para 40,3 mil unidades.

No caso dos ônibus, as montadoras venderam 886 unidades em outubro, elevação de 51,7% sobre o resultado de igual mês do ano passado e aumento de 2,4% em relação ao nono mês deste ano. No entanto, há queda de 4,4% no acumulado de 2017, para 9,4 mil unidades.

ESTOQUES 

Em relação aos estoques, houve leve elevação entre setembro e outubro, o que o presidente da Anfavea, Antonio Megale, avaliou como uma estabilidade. Os pátios das montadoras e das concessionárias terminaram outubro com 234,1 mil veículos à espera de um comprador.

O estoque é suficiente para 35 dias de venda, considerando o ritmo das vendas registrado em no mês passado. Um mês antes, o número de veículos encalhados era de 224,1 mil, suficiente para 33 dias de vendas, também considerando o ritmo de outubro. Segundo a Anfavea, o ideal é que os estoques sustentem cerca de 30 dias de vendas.

FOTO: Thinkstock