Negócios

Comerciantes se engajam em nova semana promocional


Lojistas e prestadores de serviço aderiram à Semana do Brasil esperando aquecer as vendas, e já viram resultados. Mas, apesar do anúncio tardio do governo, expectativa é que Black Friday antecipada vai 'pegar'


  Por Karina Lignelli 13 de Setembro de 2019 às 10:10

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


* Com Mariana Missiaggia

No início do mês, o governo federal lançou oficialmente a Semana do Brasil com o intuito de estimular o comércio e, consequentemente, a economia brasileira. A proposta é que entre os dias 6 e 15 de setembro, estabelecimentos de diferentes segmentos ofertem produtos e serviços com preços e condições especiais de negociação.

Como apoiadora da campanha junto a outras entidades de varejo, a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) fizeram um amplo trabalho de divulgação para difundí-la em sua base de associados para atrair os consumidores de cada região.

Mas o apelo não é apenas ser mais uma data promocional para o varejo: na opinião de William Oliva, superintendente da Distrital Nordeste da ACSP, como não se comemorava mais nada nos últimos anos, a Semana do Brasil tem sido uma boa oportunidade de voltar a despertar o sentimento de patriotismo entre os brasileiros.

“Apesar de ser uma ação nova e desconhecida, conseguimos uma boa divulgação com ajuda dos conselheiros, e os comerciantes da base aderiram com o maior carinho.”

Do lado dos empresários, mesmo sendo unânimes em afirmar que a campanha foi oficializada pelo governo “um pouco em cima da hora” - ou seja, com pouco tempo hábil para preparação – quem aderiu, se engajou. E os resultados começaram a aparecer ao longo da nova semana de descontos.

Exemplo disso é a Idel, especializada em produtos de limpeza para a área institucional, que fica no Parque Novo Mundo (Zona Nordeste da Capital Paulista). Lá, o proprietário Elias Pereira Sobrinho montou uma promoção com três produtos de custo menor, mas com boa rentabilidade atrelados à campanha - como sabonetes, detergentes e desinfetantes concentrados com 20% de desconto.

A divulgação, tanto no site como nas redes sociais da empresa, já ajudou a fechar bons negócios. “Toda iniciativa com foco em resultados para aquecer a economia tem que ser aproveitada. A sociedade aprova, e as vendas aumentam”, afirma Sobrinho, que aposta que os consumidores podem esperar cada vez mais promoções na data nos próximos anos.

WELLINGTO, DA FBW, APROVEITOU A DATA
PARA ATRAIR NOVOS ASSOCIADOS

Já na FBW Corretora de Seguros, que fica na Vila Maria, o empresário Wellington Brito de França decidiu usar a Semana do Brasil para atrair quem busca um seguro novo: para quem contratar o produto “residencial”, a primeira parcela é grátis.

“Coloquei os cartazes e consegui não só atrair os clientes para a campanha, mas também novos associados”, conta França, que num só dia fechou três contratos por conta da promoção.

Ele elogiou a iniciativa de criar a ação promocional em um período fraco no ano, conscientizando o comerciante que não é preciso só se basear nas datas tradicionais do varejo para vender, mas tentar usar também aprofundar o amor pela pátria nesse momento difícil para o mercado.

“Mas é preciso divulgar e trabalhá-la melhor, pelo menos uns três meses antes. Se continuar assim, com certeza no ano que vem o volume de negócios já será muito maior”, acredita.

Atento ao mercado, o comerciante de materiais de construção Luiz Antônio Barbosa, segunda geração à frente do Depósito Zona Sul, em Interlagos, começou a se preparar com um mês antes para a Semana do Brasil já que, no seu ramo, a logística e o prazo de entrega contam muito.

“O anúncio foi meio de sopetão, mas já tinha minha operação baseada em mídias digitais”, conta ele, que escolheu produtos sazonais, como impermeabilizantes, para fazerem parte da ação promocional, com descontos e condições de pagamento facilitadas.

“Do jeito que a economia está, é preciso atirar para todos os lados. E tudo o que fizer o estoque girar, tornará a campanha viável para muita gente”, afirma. “Só não dá para fazer coisas malucas para queimar produto: somos 10% mais baratos que o mercado, mas usamos sempre a boa e velha negociação para garantir o melhor preço.”

Especializada em material elétrico e hidráulico, a Enprin Comercial, no bairro do Ipiranga, não usa muito descontos como estratégia de negócio: o seu forte é manutenção de empresas e condomínios – algo que as pessoas só procuram quando é necessário, segundo o proprietário Reinaldo Bittar.

Mesmo assim, ele aderiu à Semana do Brasil, pois acredita que ela é boa para incentivar os pequenos comércios a movimentarem a economia local: se por um lado os grandes varejistas aderiram totalmente, será preciso insistir nela nos próximos anos porque o comércio de bairro leva mais tempo para acreditar nessas campanhas, afirma Bittar.

ENPRIN, ESPECIALIZADA EM MATERIAIS HIDRÁULICOS, ESPERA
RESULTADOS MELHORES NOS PRÓXIMOS ANOS

“Mas esse é o caminho: com o tempo, o pequeno vai entender que precisa participar dela e, em bloco, vamos conseguir transformá-la numa grande semana de descontos nos próximos anos, movimentando toda a comunidade”, acredita.

O viés de criar uma “Black Friday antecipada” permanente, para atrair um consumidor que sempre procura fazer bons negócios, vai ajudar a criar uma mudança de pensamento para a nova data promocional se fortalecer nos próximos anos, acredita Antonio Benedito Leite da Silva Souza, superintendente da Distrital Sul da ACSP, onde grande parte dos 400 associados aderiram.

Mas ele reforça que a próxima edição da Semana do Brasil fará mais sentido, pois a preparação e o esforço de publicidade para divulgá-la começarão antes.

“Mas qualquer piloto precisa buscar acertos para melhorar. Todos os anos o consumidor não espera a Black Friday antes do Natal e as liquidações que vêm depois? Se ele for informado com antecedência que na Semana da Pátria ele vai encontrar coisas mais baratas, nosso trabalho como comerciante será mais efetivo”, finaliza.

FOTOS: Divulgação / Distritais Nordeste e Ipiranga