Economia

Inflação prevista pelos brasileiros é a menor desde 2007


Prévia da inflação, o IPCA-15 registra em abril variação de 0,21% em abril, o nível mais baixo para o mês desde 2006, de acordo com o IBGE


  Por Estadão Conteúdo 20 de Abril de 2018 às 09:45

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A mediana da inflação esperada pelos consumidores para os próximos 12 meses ficou em 5% em abril, ante 5,3% em março, informou na manhã desta sexta-feira (20/4), a Fundação Getulio Vargas (FGV), que divulgou o Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores.

Com o resultado, o indicador recuou ao nível mais baixo desde agosto de 2007, quando estava em 4,9%. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve recuo de 2,5 pontos porcentuais no indicador.

"A queda na expectativa de inflação dos consumidores está em linha com o que foi previsto em meses anteriores e reflete o momento de estabilidade da inflação. Para os próximos meses, espera-se que o indicador de expectativa de inflação continue caindo, refletindo o bom momento do nível geral de preços da economia", avaliou o economista Pedro Costa Ferreira, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Na distribuição por faixas de inflação, 47,1% dos consumidores projetaram uma taxa dentro dos limites de tolerância da meta (de 3% a 6%) perseguida pelo Banco Central.

A proporção de consumidores indicando inflação abaixo do limite inferior de 3% permaneceu estável, mencionada por 23,5% do total. O intervalo mais citado pelos consumidores foi entre o limite inferior de 3% e a meta de 4,5%, mencionado por 26,4% dos entrevistados.

A expectativa de inflação recuou em todas as faixas de renda, exceto para as de famílias com renda acima de R$ 9.600,00, que manteve a taxa prevista estável em 4% pelo quarto mês consecutivo.

A maior queda ocorreu entre as famílias com renda mensal até R$ 2.100,00, cujas expectativas de inflação passaram de 6,4% em março para 5,8% em abril, o menor nível desde setembro de 2007.

O Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores é obtido com base em informações da Sondagem do Consumidor, que ouve mensalmente mais de 2,1 mil brasileiros em sete das principais capitais do País.

Aproximadamente 75% dos entrevistados respondem aos quesitos relacionados às expectativas de inflação.

PRÉVIA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registrou variação de 0,21% em abril, informou hoje (20), no Rio de Janeiro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O indicador mede a inflação do dia 15 de um mês ao dia 15 do mês seguinte e funciona como uma prévia da inflação oficial, medida pelo IPCA.

A variação registrada é a menor para um mês de abril desde 2006 e o acumulado entre janeiro e abril, 1,08%, é o menor desde o início do Plano Real em 1994. O resultado de abril ficou 0,11 ponto percentual acima da taxa de março, acumulando 2,8% em 12 meses.

O grupo Comunicação foi o único que apresentou queda na variação de preços, com -0,15%. As maiores variações foram registradas em Saúde e Cuidados Pessoais (0,69%) e Vestuário (0,43%).

Variação nos preços é a menor para um mês de abril desde 2006. Acumulado entre janeiro e abril (1,08%) é o menor desde o início do Plano Real em 1994. Arquivo/Agência Brasil

O índice para Alimentação e Bebidas ficou perto da estabilidade: 0,15%.

Entre as capitais pesquisadas, o Rio de Janeiro teve a maior variação com 0,43% de inflação, enquanto Recife e Goiânia anotaram deflação de -0,07% e -0,1%, respectivamente.

*Com Agência Brasil

IMAGEM: Thinkstock