Economia

Copom indica inflação de 3,3% em 2017


A ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central sugere que a projeção para 2018 é de 4,3%.


  Por Estadão Conteúdo 31 de Outubro de 2017 às 09:42

  | Agência de notícias do Grupo Estado


São os mesmos valores citados no comunicado que acompanhou a decisão do colegiado, na semana passada. No Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado em 21 de setembro, as projeções eram de 3,2% para 2017 e de 4,3% para 2018.

A ata indica ainda que a projeção de inflação no cenário de mercado para 2019 está em 4,2%, como no comunicado. Este também é o mesmo porcentual calculado no RTI.

As projeções do cenário de mercado levam em conta taxas de juros e câmbio variáveis, apuradas pela pesquisa Focus do BC. Nos últimos meses, a instituição tem dado maior ênfase justamente às projeções do cenário de mercado.

Na visão do BC, o cenário de referência, que utiliza juros e câmbio fixos, teria perdido relevância porque o ciclo atual é de queda de juros. Na ata divulgada hoje, assim como nas anteriores, o BC não informou as projeções no cenário de referência.

No caso do cenário de mercado, as projeções indicam que o BC caminha para o cumprimento da meta de inflação em 2017, 2018 e 2019.

O centro da meta para este e o próximo ano é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). No caso de 2019, o centro da meta é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto (inflação entre 2,75% e 5,75%).

No Relatório de Mercado Focus publicado ontem, as instituições financeiras projetaram inflação de 3,08% em 2017, 4,02% em 2018 e 4,25% em 2019.

LEIA MAIS: Descolamento da economia e política continua em 2018

Na semana passada, ao reduzir a Selic em 0,75 ponto porcentual, de 8,25% para 7,50% ao ano, o BC indicou a intenção de, no encontro de dezembro, caso o cenário evolua como esperado e em razão do atual estágio do ciclo, aplicar um corte ainda menor na taxa básica.

PREÇOS ADMINISTRADOS

O BC revisou suas projeções para a alta dos preços administrados em 2017, 2018 e 2019, conforme a ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom). Para este ano, o índice calculado passou para 7,9%, ante os 7,4% expressos no Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado em setembro.

No caso de 2018, a expectativa do Copom para os preços administrados é de alta de 5,1%, ante variação de 5,2% verificada no RTI. Já a projeção para os preços administrados de 2019 foi mantida em 4,3%, como já constava no documento anterior.

O Relatório de Mercado Focus desta segunda-feira indicou que a estimativa para 2017 no mercado financeiro é de elevação de 6,83% dos administrados. Para 2018, a expectativa está em 4,80% e, no caso de 2019, em 4,50%.

As projeções para os preços administrados ajudaram a formar a base para que o colegiado cortasse na semana passada a Selic (a taxa básica de juros), de 8,25% para 7,50% ao ano. Foi a nona redução consecutiva da taxa.

IMAGEM: Thinkstock