Vendas nos supermercados crescem 2,58% no 1º semestre

Setor está otimista em manter a expectativa de fechar o ano em 3% de alta, puxada pela Semana do Brasil, a antecipação do 13º dos aposentados e os saques do FGTS, afirma a Abras

Redação DC
30/Ago/2019
  • btn-whatsapp
Vendas nos supermercados crescem 2,58% no 1º semestre

As vendas do autosserviço brasileiro seguem em alta. De janeiro a julho, o setor registrou 2,85% de crescimento real - deflacionado pelo IPCA/IBGE, de acordo com o Índice Nacional de Vendas (INV), da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS). No último mês, a alta foi de 1,35% na comparação com junho, e de 4,12% em relação a julho de 2018. 

Para o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto, o resultado dos últimos sete meses reforça as expectativas do setor de terminar 2019 com crescimento de, pelo menos, 3%, projetados pela entidade desde o começo do ano.

LEIA MAIS: Supermercados acumulam alta de 2,71% nos preços

“Julho teve um dia a mais que junho e, no ano passado, o mês de julho foi impactado pela paralisação dos caminhoneiros. Já o acumulado se aproxima das nossas expectativas iniciais e mostra leve aquecimento no consumo", afirma. "Com a injeção de mais dinheiro na economia, vinda da antecipação do 13º dos aposentados, do FGTS e do PIS/PASEP, estamos otimistas para os próximos seis meses.”

De acordo com a Abras, o setor supermercadista fechou o primeiro semestre com alta real de 2,64%, de acordo com o INV, divulgado no final de julho pela entidade nacional.

Sanzovo comentou ainda sobre a Semana do Brasil, iniciativa do governo federal em parceria com diversas entidades dos setores de comércio e serviços, incluindo a ABRAS, que acontece de 6 a 15 de setembro, com o intuito de incentivar o consumo e melhorar os números da economia, por meio de diversas promoções no comércio varejista de todo o Brasil.

“As nossas expectativas são as melhores, e essa ação vem em boa hora, num mês que não tinha tradição de fortes vendas. Estamos mobilizando os supermercados, por meio de nossas associações estaduais, e esperamos gerar bons resultados no setor”, sinaliza.

ABRASMERCADO E REGIÕES 

No mês de julho, o indicador Abrasmercado, que identifica as oscilações de preços dos 35 produtos mais consumidos nas lojas supermercadistas, registrou queda de -0,67%, passando de R$ 487,10 para R$ 483,84, e alta de 4,19% na comparação com julho de 2018.

De acordo com a GfK, responsável pela apuração do índice, as maiores quedas foram registradas nos produtos: tomate, -9,64%, batata, -5,98%, farinha de mandioca, -5,39%, e feijão, -4,14%. As principais altas nos preços foram identificadas nos itens: cebola, 24,08%, xampu, 3,57%, pernil, 3,46%, e carne dianteiro, 1,74%.

Quanto às regiões, em julho, todas apresentaram queda no preço da cesta Abrasmercado. As maiores variações negativas foram registradas na Região Centro-Oeste, -1,29%, com o valor de R$ 449,29, resultado impulsionado, principalmente, por Cuiabá, -2,35%, e na Sudeste, -0,75%, que chegou a R$ 467,82, influenciado pela Grande Vitória, que registrou queda de -2,72%.

FOTO: Tânia Rego/Agência Brasil

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas