Vendas no varejo caem 17,1% em fevereiro, aponta índice da Cielo

É o quarto mês seguido de queda do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Um dos poucos segmentos com variação positiva em fevereiro foi o de Supermercados.

Estadão Conteúdo
16/Mar/2021
  • btn-whatsapp
Vendas no varejo caem 17,1% em fevereiro, aponta índice da Cielo

A pandemia da covid-19 continua a impactar as vendas no varejo brasileiro, segundo dados do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), que acompanha mensalmente a evolução do setor. Em fevereiro recuaram 17,1%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2020.

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o ICVA apresentou queda de 9,9%.

Segundo o indicador, a queda nas vendas seria menor se desconsiderados os efeitos de calendário. Isso porque em 2020, ano bissexto, o mês de fevereiro contou com um sábado a mais de comércio. Sem tais efeitos, o índice do mês apresentou queda de 13,5%, descontada a inflação.

Em termos nominais, com os ajustes de calendário, o ICVA apresentou retração de 5,9%.

Os setores que apresentaram maiores desacelerações foram Turismo e Transporte, Postos de Gasolina e Móveis, Eletro e Departamentos. Supermercados e Hipermercados e Livrarias, Papelarias e afins apresentaram aceleração frente a fevereiro do ano passado.

"A pandemia continua impactando o varejo. Depois da recuperação observada até outubro, já estamos no quarto mês seguido de queda, voltando ao patamar de agosto. Um dos poucos segmentos com variação positiva foi o de Supermercados e Hipermercados. O grupo de Serviços, em especial o setor de Turismo e Transporte, permanece com a maior queda, refletindo o impacto das medidas de restrição em todo o país", afirma em nota o Head de Inteligência da Cielo, Pedro Lippi.

INFLAÇÃO

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado em fevereiro pelo IBGE, apontou alta de 5,2% no acumulado dos últimos 12 meses, com aceleração de 0,86% em fevereiro. O grupo de Alimentação e Bebidas foi o que mais contribuiu para a aceleração do índice. "Ao ponderar o IPCA pelos setores e pesos do ICVA, a inflação no varejo ampliado foi de 8,7%, acelerando em relação ao índice registrado no mês anterior", afirma a Cielo.

Descontada a inflação e com o ajuste de calendário, todos os macrossetores registraram desaceleração. Postos de Gasolina e Farmácias e Drogarias foram dois segmentos onde a desacelaração mais pesou no bloco de Bens Não Duráveis.

No bloco de Bens Duráveis e Semiduráveis, o destaque da desaceleração foi Móveis, Eletro e Lojas de Departamento. No bloco de Serviços, Turismo e Transporte foi o segmento com maior desaceleração.

REGIÕES

Segundo a Cielo, todas as regiões do País apresentaram desaceleração na passagem mensal de acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário. Na região Sudeste, a queda foi de 15,2%, seguida das regiões Nordeste (-14,0%), Sul (-10,1%), Norte (-9,5%) e Centro-Oeste (-8,4%).

Pelo ICVA nominal - que não considera o desconto da inflação -, a única região com variação positiva foi a Centro Oeste, com crescimento de 0,1%. As demais apresentaram quedas: Sudeste (-8,4%), Nordeste (-5,8%), Sul (-1,6%) e Norte (-0,3%).

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas