Vendas do varejo ficam estáveis em março na variação mensal, mostra IBGE

No acumulado do primeiro trimestre de 2024, as vendas avançaram 2,5% quando comparadas ao quarto trimestre de 2023

Estadão Conteúdo
08/Mai/2024
  • btn-whatsapp

As vendas do comércio varejista ficaram estáveis em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 8/5, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com março de 2023, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 5,7% em março.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 5,9% no ano, que tem como base de comparação o mesmo período do ano anterior. No acumulado em 12 meses até março, houve alta de 2,5%, ante avanço de 2,3% até fevereiro. 

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção, de veículos e de atacado alimentício, as vendas caíram 0,3% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com março de 2023, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 1,5% em março.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam avanço de 4,6% no ano. No acumulado em 12 meses até março, houve alta de 2,9%, ante avanço de 3,6% até fevereiro.

NÍVEL RECORDE

Após a estabilidade no volume vendido em março ante fevereiro, o varejo se manteve operando em patamar recorde na série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em 2000.

"Como havia alcançado o maior nível da série no mês anterior, com a estabilidade, o patamar recorde se desloca de fevereiro para março de 2024", apontou o IBGE.

Já o varejo ampliado, que recuou 0,3% em março ante fevereiro, está em nível 1,4% aquém do ápice registrado em agosto de 2012.

TRIMESTRE

As vendas do comércio varejista subiram 2,5% no primeiro trimestre de 2024 ante o quarto trimestre de 2023, na série com ajuste sazonal. O resultado trimestral foi o mais elevado desde o segundo trimestre de 2022, quando as vendas cresceram 2,8%.

No varejo ampliado, as vendas aumentaram também 2,5% no primeiro trimestre de 2024 ante o quarto trimestre de 2023. O desempenho foi o mais acentuado desde o segundo trimestre de 2021, quando houve expansão de 3,4%.

Segundo Cristiano Santos, gerente da Pesquisa Mensal de Comércio do IBGE, as vendas de bens não essenciais puxaram o bom resultado do varejo no primeiro trimestre deste ano, com destaque para segmentos que vendem itens de maior valor agregado, como móveis e eletrodomésticos e outros artigos de uso pessoal e doméstico.

O setor de vestuário também figurou entre os destaques positivos no trimestre.

Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, as vendas do varejo restrito aumentaram 5,9% no primeiro trimestre de 2024, completando assim o quinto trimestre seguido de avanços.

No varejo ampliado, as vendas cresceram 4,6% no primeiro trimestre de 2024 ante o primeiro trimestre de 2023. 

REVISÃO

O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo ampliado em fevereiro ante janeiro, de uma alta de 1,2% para uma elevação de 1,0%, conforme os dados das Pesquisa Mensal de Comércio de março divulgada nesta quarta-feira.

No varejo restrito, a taxa de fevereiro ante janeiro foi mantida em uma elevação de 1,0%.

 

IMAGEM: Freepik

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas