Vendas do e-commerce brasileiro crescem 27% em 2021, diz Ebit

A categoria Alimentos e Bebidas registrou aumento no volume de pedidos de 107% sobre o ano anterior

Redação DC
23/Mar/2022
  • btn-whatsapp
Vendas do e-commerce brasileiro crescem 27% em 2021, diz Ebit

As vendas do e-commerce brasileiro no ano passado cresceram 27% na comparação com 2020, para R$ 182,7 bilhões, impulsionadas pelo forte desempenho das categorias de alimentos e bebidas e produtos de giro rápido. A informação consta do Webshoppers, relatório elaborado pela NielsenIQ/Ebit.

O crescimento das vendas no ambiente on-line foi acompanhado de um número expressivo de novos consumidores. Foram 12,9 milhões de brasileiros que compraram pela primeira vez no ano passado, elevando o total para 87,7 milhões de consumidores.

O ticket médio geral das vendas ficou em R$ 441, alta de 4% na comparação com 2020. Já os novos entrantes gastaram um valor médio levemente superior, R$ 454.

O e-commerce cross-border, aquele realizado com lojas on-line de outros países, apresentou um crescimento expressivo em 2021, acima do total geral do mercado brasileiro. Em relação a 2020, houve um aumento de 60% no faturamento, alcançando R$ 36,2 bilhões.

CATEGORIAS

O destaque de 2021 foi a categoria de Alimentos e Bebidas, que registrou aumento no volume de pedidos de 107% sobre o ano anterior. A alta dessa categoria foi muito superior ao do restante do espectro do e-commerce.

Por exemplo, a categoria Bebê & Cia avançou 34%, Construção & Ferramentas, 31%, e Informática, 24%.

No entanto, como produtos alimentícios e bebidas têm um valor menor, a contribuição geral para o faturamento do e-commerce é reduzida, apenas 2%, número igual ao de 2020, aponta o relatório.

O principal motor do volume de vendas ainda são as categorias de Eletrodomésticos (21%), Telefonia (20%), Casa e Decoração (11%) e Informática (10%).

"O e-commerce ainda é associado a eletrônicos, celular e eletrodomésticos, mas a grande movimentação mesmo está ocorrendo nos alimentos e bebidas. Esse é um hábito que se consolidou em 2021: o brasileiro fazendo nas plataformas digitais suas compras de mercado para se abastecer", afirmou o head de e-commerce da NielsenIQ/Ebit, Marcelo Osanai.

Produtos de giro rápido, normalmente vendidos em mercados, por exemplo, tiveram alta de 41,1% no e-commerce em 2021, na comparação com o ano anterior.  

Na parte de alimentos, a maior expansão nas vendas aparece em Hortifrutigranjeiros (119,4%), Sobremesas & Confeitaria (50,8%), Bomboniere (48,9%), Matinais (29,2%) e Mercearia (22,7%).

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas