Segmento vegano cresce e atrai empreendedores

A jornalista Carina Lyrio começou a fazer hambúrgueres veganos para vender aos colegas de trabalho e acabou se descobrindo empreendedora. Hoje ela está à frente da Lyrios, empresa que fornece congelados desse segmento para o varejo em geral

Rebeca Ribeiro
05/Abr/2024
  • btn-whatsapp
Segmento vegano cresce e atrai empreendedores

O segmento de alimentos veganos vem crescendo na esteira das mudanças de hábitos dos consumidores que, principalmente depois da pandemia de covid-19, passaram a se preocupar mais com um estilo de vida saudável. 

Segundo Mikaela Paim, diretora de marketing e inovação da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), 14% dos brasileiros se declaram como vegetarianos, sendo que, destes, 10 milhões se identificam como veganos.

Essa é uma realidade que vem se desenhando ao longo dos últimos anos. Em 2021, a pesquisa “O consumidor brasileiro e o mercado plant-based”, realizada pelo The Good Food Institute Brasil (GFI Brasil), apontava que 67% dos brasileiros diminuíram seu consumo de carne. 

Outra pesquisa que mostra igual tendência, esta realizada pela Galunion em novembro de 2023, apontou que de mil respondentes, 71% indicaram que consumiriam produtos plant-based (à base de vegetais) e plant-forward (com mais vegetais e menos carne) se houvesse mais opções no mercado. 

“Consideramos que a tendência de crescimento de produtos que atendem às dietas vegetarianas e veganas seguirá firme, especialmente com o aumento de acesso econômico e atendimento às expectativas sensoriais dos consumidores” diz Simone Galante, CEO da Galunion.

Nesse contexto, o mercado vem se adequando a esse novo consumidor. Restaurantes voltados a esse público são abertos regularmente e estabelecimentos tradicionais adicionaram em seus cardápios opções veganas. Segundo Mikaela, há mais de 2,9 mil restaurantes e estabelecimentos declarados veganos no país.

Nos supermercados já é possível notar prateleiras inteiras voltadas aos produtos considerados saudáveis. De acordo com Marcio Milan, vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), além dos alimentos, os supermercados estão investindo em produtos de higiene e beleza para o público vegano.

Ainda no varejo, de acordo com Edmar Mothé, CEO da Bio Mundo, rede de lojas de produtos naturais, as vendas de produtos como grão-de-bico, soja e ervilha cresceram 38% nos últimos três anos.

Na indústria, gigantes como BRF e JBS incorporaram em suas estratégias o plant-based. E isso dá uma dimensão do potencial desse mercado, já que estamos falando de empresas que têm as suas linhas de produtos pensadas para um país que possui um consumo de carne acima da média global. 

“Estima-se que em 2035 o mercado global de ‘carnes vegetais’ tem potencial de atingir US$ 370 bilhões”, diz Mikaela.

OPORTUNIDADE PARA OS PEQUENOS

Mercados em ascensão costumam atrair o interesse de empreendedores, que exploram lacunas na oferta para se posicionarem. Esse é o caso da Lyrios, uma empresa especializada em alimentação vegana que vende produtos congelados para varejo, restaurantes e ao consumidor final. 

A empresa nasceu em 2015 de maneira espontânea, quando a jornalista Carina Lyrio percebeu que tinha extrapolado em uma compra no supermercado. Com vários ingredientes sobrando em casa, a empreendedora buscou repor o dinheiro que havia gasto fazendo hambúrgueres veganos para vender aos colegas do trabalho.

Em poucos dias, Carina passou a receber várias encomendas. A empreendedora passou então a conciliar o trabalho com seu pequeno negócio e observou a demanda crescer significativamente. “Por falta de opção no mercado, muitos consumidores compram de pequenos negócios.”

Hoje, mesmo com a maior variedade de produtos e a presença de grandes empresas no mercado vegano, o segmento se mantém atrativo para os pequenos empreendedores, pois a demanda é crescente. Segundo Carina, a percepção dos consumidores a respeito do sofrimento animal e da necessidade de preservação do meio ambiente ganha cada vez mais relevância, dando impulso ao segmento.

Além disso, os produtos veganos evoluem continuamente, o que faz com que se tornem mais atraentes aos olhos dos consumidores em geral, até mesmo daqueles que comem carne. Alimentos como carne, linguiça e queijo veganos possuem aparência semelhante a dos produtos originais.

É nesse apego à aparência que a Lyrios aposta, levando ao mercado hambúrgueres de castanha, tomate seco e alho-poró, linguiças de soja e ervas, além de queijos de ervas finas, com o design atrativo que desperta a curiosidade dos consumidores.

 

IMAGEM: Lyrios/redes sociais

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas