Proporção de endividados na capital paulista é a maior desde 2010

Em agosto, 2,28 milhões de famílias - ou 58% dos lares - tinham algum tipo de dívida, segundo a FecomercioSP

Estadão Conteúdo
16/Set/2019
  • btn-whatsapp
Proporção de endividados na capital paulista é a maior desde 2010

A cidade de São Paulo teve, em agosto, 2,28 milhões de famílias com algum tipo de dívida - o equivalente a 58% dos lares paulistanos. É a maior proporção de endividados desde 2010, quando a FecomercioSP começou a registrar os números por meio da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC).

A proporção de famílias endividadas em agosto é 2,3 pontos porcentuais superior ao número de julho de 2019 e cerca de 4,4 pontos maior do que o registrado em agosto de 2018. Na comparação interanual, a diferença representa aproximadamente 200 mil famílias.

INADIMPLÊNCIA x COMPRAS PARCELADAS

Também registrou alta em agosto a taxa de inadimplência, que saiu de 20,20% em julho para 21,10% - um aumento de 4,46%. A taxa é a terceira maior da série histórica iniciada em 2010 e representa 830 mil lares inadimplentes, 37 mil a mais do que no mês anterior. Segundo a FecomercioSP, 344 mil famílias - 8,80% do total - declaram não ter condições de pagar as dívidas.

Segundo a FecomercioSP, o aumento no endividamento contribui para uma queda na disposição de consumidores comprarem por meio de crédito. A Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), também conduzida pela entidade, registrou queda de 10,60% na intenção de comprar um produto financiado ou parcelado nos próximos três meses - de 51,5 pontos em julho para os atuais 46,1.

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) também apresentou retração em agosto, recuando 1,90% de 111,9 pontos em julho para os atuais 109,8. A queda foi motivada por uma baixa nos três itens que integram o indicador: O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC), com -2,40%; o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC), com -1,5%; e o Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), com -1,7%.

Assim, o Índice de Expansão do Comércio, que mede a propensão dos empresários a expandirem os negócios, também fechou o mês em queda, com -2,60%. A propensão do empresário a investir recuou 3,50% frente a julho e a expectativa de novas contratações caiu 2,0% no comparativo mensal. Mesmo assim, na comparação com o mesmo período de 2018, ambas registraram alta de 4,60% e 5,40%, respectivamente.

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
--
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas