Produção industrial caiu 0,7% em agosto, diz IBGE

A redução de ritmo foi registrada em 15 dos 26 ramos de atividades pesquisados. No ano, a indústria acumula alta de 9,2%

Estadão Conteúdo
05/Out/2021
  • btn-whatsapp
Produção industrial caiu 0,7% em agosto, diz IBGE
A produção industrial caiu 0,7% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta terça-feira, 5/10, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a agosto de 2020, a produção também recuou 0,7%. A indústria acumula alta de 9,2% no ano de 2021. Em 12 meses, a produção acumula avanço de 7,2%.
 
A produção da indústria de bens de capital caiu 0,8% em agosto ante julho. Na comparação com agosto de 2020, o indicador avançou 29,9%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF). No acumulado em 12 meses, houve elevação de 29,8% na produção de bens de capital.
 
Em relação aos bens de consumo, a produção registrou queda de 0,1% na passagem de julho para agosto. Na comparação com agosto de 2020, houve redução de 4,3%. No acumulado em 12 meses, a produção de bens de consumo cresceu 4,1%.
 
Na categoria de bens de consumo duráveis, a produção recuou 3,4% em agosto ante julho. Em relação a agosto de 2020, houve queda de 17,3%. Em 12 meses, a produção subiu 12,2%.
 
Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve elevação de 0,7% na produção em agosto ante julho. Na comparação com agosto do ano anterior, a produção caiu 0,8%. A taxa em 12 meses ficou positiva em 2,2%.
 
Para os bens intermediários, o IBGE informou que a produção caiu 0,6% em agosto ante julho. Em relação a agosto do ano passado, houve uma queda de 2,1%. No acumulado em 12 meses, os bens intermediários tiveram alta de 6,6%.
 
O índice de Média Móvel Trimestral da indústria registrou queda de 0,8% em agosto.
 
ATIVIDADES

O recuo de 0,7% na produção industrial em agosto ante julho foi resultado de uma redução de ritmo em 15 dos 26 ramos pesquisados.

As principais influências negativas foram de outros produtos químicos (-6,4%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-2,6%), veículos automotores, reboques e carrocerias (-3,1%) e produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-9,3%).

Outras contribuições negativas relevantes partiram de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-4,2%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-2,0%), produtos de borracha e de material plástico (-1,1%), confecção de artigos do vestuário e acessórios (-1,6%) e celulose, papel e produtos de papel (-0,8%).

Na direção oposta, entre as onze atividades com expansão, os destaques foram produtos alimentícios (2,1%), bebidas (7,6%) e indústrias extrativas (1,3%), embora também tenham ocorrido crescimentos relevantes em metalurgia (1,1%), produtos de madeira (3,0%) e produtos têxteis (2,1%).

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas